23 de abril de 2015

A GATA MOCHILEIRA

Um casal francês que está caminhando pelo mundo “foi adotado” por uma linda gatinha
que ao que tudo indica compartilha com os novos donos o mesmo prazer pela aventura.  
Kitty foi encontrada no meio da estrada na Louisiana e nunca mais deixou Laetitia e Guillaume.  
Com 4 meses e meio faz parte da família desde o primeiro mês de vida quando mal enxergava.   
Muito inteligente fica na mochila sem coleira e salta de um saco para outro enquanto a dupla caminha.  
Ela nunca cai e quando se sente em perigo volta para um dos sacos.  
Muitas vezes caminha ao lado e imita o som de um corvo quando vê um!  
Kitty é vacinada e tem passaporte para voltar para França no final dessa grande aventura.  
Certamente é a primeira gatinha do mundo a caminhar 15.000 km! "
 Kitty é talvez a gata mais aventureira do mundo.  
Ela é o animal de estimação de um casal francês de exploradores, Guillaume e Laetitia, que estão a viajar a pé de Miami, U.S.A. para Ushuaia, no sul da Argentina.  
Estão actualmente na Colômbia, rumo ao sul. 
A gata deles, Kitty, é muitas vezes vista em repouso na mochila transportada por Guillaume, enquanto vão na estrada.  
Até criaram um guarda-chuva, para dar sombra a Kitty.  
Kitty gosta da viagem, tanto como o casal. Ela muitas vezes sobe até ao ombro do dono para conseguir uma boa olhadela de cada novo cenário.




















25 comentários:

  1. Que momentos ternurentos. Qualquer dia tb quero um gato!: )

    ResponderEliminar
  2. Que ternura! Seria uma excelente influência para o meu Biju que colonizou o sofá e nunca sai de lá :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um não sai do sofá, a outra anda a dar a volta ao Mundo.
      Oposittes atract :)))

      Eliminar
  3. Uma história encantadora que me deixou a chorar ao pensar no meu querido Casimir que tinha sete meses quando nos adoptou.

    O Casimir não era um aventureiro. Gostava muito dos sofás, dos parapeitos das janelas, da varanda, mas principalmente da minha cama.

    ResponderEliminar
  4. Uma história encantadora que me deixou a chorar ao pensar no meu querido Casimir que tinha sete meses quando nos adoptou.

    O Casimir não era um aventureiro. Gostava muito dos sofás, dos parapeitos das janelas, da varanda, mas principalmente da minha cama.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Casimir era o típico gato.
      Esta gatinha é que é uma aventureira.
      Quando vim para Macau as minhas primas tinham um gato que me adoptou imediatamente.
      E que era um piadético porque adorava comer.......rosas.
      Um raminho de risos era o melhor pitéu que lhe podiam dar.

      Eliminar
  5. Não tenho palavras, mas se o Pedro pudesse ver os meus olhos, lá, encontraria o k estou a sentir.
    Fique bem, com as suas "gatinhas"!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. CÉU,
      Esta gatinha é o exemplo do quanto ainda não entendemos os animais.

      Eliminar
  6. Eu fui adoptada pelos meus ci co gatos e por vezes mais que fazem da minha cxasa a "sopa dos pobres" . vêm em bando comer aqii e, depois vao-se embora. Ao certo nao sei quantos sao.
    Posso considerá-los meus? Ou talvez eles achem que sou deles?
    Só sei que adoro gatos
    Kis :>)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AvoGi,
      Já há uns anos, apareceu lá em casa em Portugal uma gatinha que estava muito grávida.
      A minha mãe começou a alimentá-la.
      Sem nunca deixar que nos deixar aproximar, pariu sete gatinhos na porta de entrada lá de casa.
      E por ali andaram todos, sempre ariscos, sempre a ser alimentados pela minha mãe, até irem morrendo um a um.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Que história interessante e ternurenta, Pedro!... Valente e sortuda Kitty, soube adoptar os companheiros certos e com o mesmo espírito de aventura!

    As fotos são preciosas! Adorei.

    Beijinhos

    Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pergunto o que perguntei à Catarina, Janita - quem adoptou quem??
      Beijinhos

      Eliminar
  8. boa noite Pedro
    uma gatinha globotrotter, mas com tanto conforto e carinho, quem não iria gostar da aventura ?:

    ResponderEliminar
  9. Que história maravilhosa. Tive uma gatinha igual que morreu novinha.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os gatos têm uma personalidade muito própria, ana.
      Capazes de atitudes que nos deixam embasbacados
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Que inveja eu tenha da gata, vai ficar a conhecer a América quase toda, vai ficar a conhecer mais do que eu, que só conheço a América do Norte (Canadá, EUA e México).

    ResponderEliminar