19 de junho de 2014

Reflexões políticas


1 - O cigarro adverte - o governo faz mal à saúde !

2 - Não roube -  o governo detesta concorrência.

3 - Errar é humano. Culpar outra pessoa é política.

4 - Autarcas portugueses são os mais católicos do mundo. Não assinam nada sem levar um terço.

5 - Se bem que o salário mínimo deveria chamar-se gorjeta máxima.

6 - Feliz foi Ali-Babá que não viveu em Portugal e só conheceu 40 ladrões !!!

7 - Não deixe de assistir ao horário político na TV: Talvez seja a única oportunidade de ver políticos portugueses em “ cadeia nacional ”.

8 – O maior castigo para quem não se interessa por política é que será governado pelos que se interessam.

9 - Os políticos são como as fraldas - devem ser trocados com frequência, e sempre pelo mesmo motivo (Eça de Queirós).

10 - Os líderes das últimas três décadas ou sucedem a si próprios ou então criam clones dos seus tiques.

11 - Os partidos tomaram conta do Estado e puseram o Estado ao seu serviço.

12 - A frase do dia é de Alberto João Jardim: "O que penso sobre o aborto ?! - Considero-o um péssimo primeiro-ministro e está a governar muito mal o País."

13 - Notícia de última hora ! Fiscais da ASAE, brigada de inspecção da higiene alimentar, acabam de
encerrar a Assembleia da República. Motivo: Comiam todos no mesmo tacho !

14 – Bom para Portugal ! Sou totalmente a favor do casamento gay entre os políticos.Tudo que possa contribuir para que eles não se reproduzam é bom para o País.

15 - Candidatos: Antigamente os cartazes nas ruas, com rostos de criminosos, ofereciam
recompensas; hoje em dia, pedem votos.

16 - País desenvolvido  não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos usam transporte público.

17 - Austeridade é quando  o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até deixarmos de ter
dinheiro para pagar as nossas.

Férias!!
O blogue volta lá para meio de Julho.

18 de junho de 2014

Chantagem descarada


Ouvir a Associação de Administração de Propriedades de Macau afirmar que a implementação de um salário mínimo (30 patacas/hora) implicará automaticamente um aumento de, no mínimo, trinta por cento na factura dos condóminos dos prédios é absolutamente revoltante.
É uma vergonha que Macau, terra onde o dinheiro cada vez mais abunda, ainda não tenha implementado um salário mínimo para todas as actividades económicas.
Esta tentativa, este primeiro passo, este tubo de ensaio (salário mínimo para porteiros e funcionários de limpeza de empresas de gestão de condomínios), depara-se logo à partida com uma manobra de chantagem absolutamente descarada e despudorada por parte das entidades patronais.
Manobra de chantagem revoltante porque demasiado evidente nos seus propósitos - a ameaça que o patronato, pela voz de uma das muitas obscuras associações que povoam o espaço público de Macau, veladamente faz, visa apenas criar na opinião pública uma reacção de repúdio à consagração de um direito fundamental de todos os trabalhadores.
Tão simples quanto maquiavélica nos seus pressupostos, a reacção em cadeia que se pretende é demasiado óbvia - se eu, consumidor, é que vou ter que suportar os custos hipoteticamente decorrentes da consagração de um salário mínimo, rejeito liminarmente essa consagração.
Se rejeito essa consagração, não haverá condições políticas para levar a mesma até ao fim.
E o status quo vigente não sofrerá qualquer alteração.
Raciocínio típico de sociedades onde o individualismo feroz e a exploração do mais fraco pelo mais forte imperam, esta forma de pensar e agir devia envergonhar Macau.

Jerusalém e Roma (ANSELMO BORGES)



1 A política está em tudo mas não é tudo. A oração também pode ser força política. E condição essencial para a paz é a conversão interior, do coração. Por outro lado, a História não está pré-escrita em parte alguma e, por isso, é preciso construí-la e ao mesmo tempo ter a capacidade de se deixar surpreender por ela. Cá está: quem poderia supor há apenas um mês que seria possível o Presidente de Israel, Shimon Peres, e o Presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, encontrarem-se no Vaticano para rezar? Mas o inesperado, o que se diria impossível, aconteceu.

Na sua visita à Jordânia, à Palestina e a Israel, inesperadamente, o Papa Francisco desafiou os dois presidentes para um encontro na "sua casa", no Vaticano, para rezarem pela paz. E essa oração histórica ocorreu nos jardins do Vaticano, no domingo passado, dia 8, com a presença de um quarto convidado, o patriarca ortodoxo Bartolomeu, de Constantinopla. O abraço dos dois líderes, palestiniano e israelita, com o Papa como testemunha, fica para a História. "Que Deus te abençoe!", disse Peres a Abbas, saudando-o. E Francisco: "Sim ao diálogo e não à violência; sim à negociação e não à hostilidade; sim ao respeito pelos pactos e não às provocações. Senhor, desarma a língua e as mãos, renova os corações e as mentes: Shalom, paz, salam".

Após um breve intróito musical, seguiu-se a oração. No centro, Abbas, Francisco e Peres, à esquerda, Bartolomeu. De um lado e de outro, representantes das três religiões abraâmicas, também ditas monoteístas, proféticas e do Livro, e dos governos palestiniano e israelita. Por ordem histórica, a primeira oração coube aos judeus, seguindo-se os cristãos e os muçulmanos. Louvou-se a Deus pela Criação, pediu-se perdão pelos pecados, ergueram-se súplicas pela paz entre judeus e palestinianos, na Terra Santa, em todo o Médio Oriente, para toda a humanidade. No fim, um novo abraço e um gesto simbólico: os quatro líderes plantaram uma oliveira. A paz "não será fácil, mas lutaremos por ela no tempo que nos resta de vida".

2 Se, como escreveu a grande filósofa Hannah Arendt, também a economia é um problema teológico, eu diria que a Palestina o é muito mais. Para quem quiser aprofundar a questão, pode ler as duas obras monumentais do teólogo Hans Küng: O Judaísmo e O Islão.

Como é sabido, em 29 de novembro de 1947, por maioria sólida e com o beneplácito dos Estados Unidos e da antiga União Soviética, as Nações Unidas aprovaram a divisão da Palestina em dois Estados: um Estado árabe e um Estado judaico, com fronteiras claras, a união económica entre os dois e a internacionalização de Jerusalém sob a administração das Nações Unidas. Note-se que, apesar de a população árabe ser quase o dobro e os judeus estarem então na posse de 10% do território, ficariam com 55% da Palestina.

O mundo árabe rejeitou a divisão. Mas, à distância, mesmo admitindo a injustiça da partilha e as suas consequências - é preciso pensar na fuga e na expulsão dos palestinianos -, considera-se que a recusa árabe foi "um erro fatal" (Küng). Aliás, isso é reconhecido hoje também pelos palestinianos, pois acabaram por perder a criação de um Estado próprio soberano pelo qual lutam.

Como se tornou claro, a guerra não gera a paz, que só pode chegar mediante o diálogo, a diplomacia, cedências mútuas, com dois pressupostos fundamentais: o reconhecimento pelos Estados árabes e pelos palestinianos do Estado de Israel e o reconhecimento por parte de Israel de um Estado palestiniano viável, soberano e independente. E Jerusalém: internacionalizada?

O conflito do Médio Oriente é sobretudo político. Mas lá não haverá paz enquanto os membros das três religiões monoteístas, que se reclamam de Abraão, se não tornarem politicamente activos, impedindo o fanatismo religioso. Com base nos seus livros sagrados - Bíblia hebraica, Novo Testamento, Alcorão -, judeus, cristãos e muçulmanos devem reconhecer-se mutuamente e lutar a favor da paz. Esta é a mensagem de Roma para Jerusalém

in DN, 14.06.14

17 de junho de 2014

Vergonhoso


A selecção portuguesa sofreu esta madrugada a maior derrota em fases finais de mundiais de futebol.
A goleada (4-0) sofrida pelos portugueses, e a maneira como o jogo decorreu, só merecem um comentário - vergonhoso!
Tinha escrito neste espaço que a selecção portuguesa era uma equipa pouco mais que vulgar, com um jogador de todo invulgar.
O que se viu no jogo desta madrugada foi a completa vulgarização da selecção portuguesa perante uma fortíssima selecção alemã.
Algo que não acontece por acaso, muito menos por causa de hipotéticos erros de arbitragem.
Aconteceu porque uma excelente equipa, com excelentes jogadores, preparou melhor o jogo que o adversário.
Se essa equipa era já mais forte à partida, essa diferença ainda se viu acentuada pela forma como o jogo foi preparado por ambas.
Os alemães souberam perceber o seu ponto fraco, treinaram em espaço fechado, simularam as condições de temperatura e humidade que se sentiriam à hora do jogo.
Enquanto o faziam, os portugueses estavam entretidos a discutir a recuperação de jogadores.
Não é trágico perder quando se defronta a selecção alemã, uma das eternas candidatas à vitória final em qualquer torneio que dispute.
É inadmissível perder como se perdeu, fazer passar uma imagem de completo desnorte, de absoluta incapacidade, de gritante vulgaridade.
A derrota da selecção portuguesa, em conjunção com a vitória da selecção americana frente à selecção ganesa, deixa muitas dúvidas a pairar e apenas uma certeza - num só jogo esgotou-se a margem de erro.
Contra americanos e ganeses não é marchar, marchar; é ganhar, ganhar.

A MALDIÇÃO DOS 16 ANOS


A primeira grande frustração do Brasil em Copas do Mundo ocorreu em 1950, quando perdemos em casa para o Uruguai.
         Dezesseis anos depois, a segunda. Em 1966, como bicampeões mundiais, caímos na primeira fase, perdendo para Hungria e Portugal.
          Dezesseis anos depois, a terceira. Em 1982, como tricampeões e com um time de fazer inveja a qualquer argentino, fomos bisonhamente eliminados pela Itália, embora jogássemos pelo empate.
          Dezesseis anos depois, a quarta grande decepção. Em 1998, já tetracampeões, perdemos a final para a França, de goleada. Até hoje não se sabe direito o que aconteceu com o nosso centroavante. Dançamos no Moulin Rouge do futebol!
          Dezesseis anos depois, retorna a Copa ao Brasil. E mais uma vez perdemos.
          Perdemos para a mobilidade urbana, perdemos para a violência nos estádios, perdemos para os acidentes fatais nas obras, perdemos prazos, perdemos para a corrupção e para o superfaturamento, perdemos a chance de melhorar a saúde, a educação e a segurança. Derrota acachapante!
          Só espero que o cabalístico azar dos"dezesseis anos" se confirme dentro do gramado, quando estarão se enfrentando dezesseis seleções.
           Pode parecer impatriótico torcer contra o escrete canarinho, mas se quebrarmos esse tabu e nos sagrarmos hexacampeões mundiais de futebol teremos, certamente, outra maldição muito mais calamitosa a se concretizar - o PT na Presidência da República por dezesseis anos!

16 de junho de 2014

Santa inocência!!





Uma menina de cinco anos perguntou à Mãe:
-Mãe! O que é isto que eu tenho entre as pernas? 
A Mãe: 
-Isso é uma capelinha sagrada onde ninguém pode entrar! 
Já com 17 anos, a miúda começou a namorar e um dia o namorado quis iniciar a vida sexual. 
A resposta dela foi: 
- Nãoo!!!! Isto é um local sagrado e não podes entrar! 
Após alguma resistência o namorado lembrou-se: 
- Deixa-me meter o meu santinho dentro da tua capelinha! 
Ela acabou por ceder e ao gostar tanto, questiona o namorado: 
- Querido! Esses dois não entram também?! 
Ao que ele responde: 
-Não, amor! Estes ficam à porta! São Jeovás!!!!

BOA SEMANA!!

Viajem ao Brasil


Uma mulher viaja para o Brasil e conhece um negro, com quem começa a curtir todos os dias!!!!
Pergunta-lhe sempre o nome, mas ele nunca o diz, justificando-se que ela iria rir-se dele!|
No último dia, após tanta insistência ele acaba por responder, afirmando chamar-se Neve!
Ela desata a rir, ao que ele responde:
- Voce tá vendo! Tá gozando do meu nome!
Ela responde:
- Não é isso!
Estou a rir da cara do meu marido quando lhe disser que no Brasil apanhei 30 cm de neve todos os dias!!!!

(Seria a das caixas de preservativos??) 

Três amigos à conversa



Três amigos à conversa:
O primeiro:
- A minha mulher é mesmo estúpida! Comprou um carro e não tem carta de condução!
Outro:
- A minha é ainda pior, pois comprou uma moto e não sabe conduzir!
O último:
- A minha é a PIOR! Vai para o Brasil uma semana e comprou meia-dúzia de caixas de preservativos! E nem PILA tem!!!

13 de junho de 2014

ENFERMEIRAS



Umas enfermeiras reúnem-se na cafetaria do hospital depois de terem passado uma noite de orgia e uma delas começou a comentar:

- Na noite passada eu tive que dormir com um anestesista.

- Por quê? Perguntou a outra.

- Porque eu não senti nada, nada, mas mesmo nada...

- Bem, eu devo ter dormido com o Diretor.

- Por quê?

- Deu ordens e pedidos, e todo o trabalho quem teve de o fazer fui eu.

- Pois eu devo ter tido um médico residente. Ele ficava perguntando: Está tudo bem? Estou fazendo isso certo? É assim que se faz?

Todas olharam para a restante, ela estava com uma cara feliz e perguntou...

- E você com quem dormiu?

- Bem, eu acho que foi com um radiologista. Maravilhoso, ele fez o acto no plano anterior, no posterior, no lateral, tanto oblíquo como, especialmente, no axial. E quando terminou, disse:

- "Oh! que chatice, você mexeu-se...temos que repetir tudo de novo."

BOM FIM-DE-SEMANA!!

SOBRE A BELEZA DA VIDA CONJUGAL



Um grupo de mulheres reuniu-se num seminário sobre como melhorar a sua vida conjugal.

Então, foi-lhes questionado: “Quais de vocês ainda amam os seus maridos?”

Todas levantaram a mão!

Em seguida, foram inquiridas sobre qual a última vez que teriam dito aos seus maridos que o amavam.

Algumas responderam “Hoje”, outras “Ontem” , mas a maioria não se recordava!

Por fim, fizeram um teste e pediram que todas pegassem seus celulares e enviassem um SMS aos seus maridos dizendo: “Te amo muito, querido.”

Depois, foi pedido que mostrassem as respostas dos respectivos maridos.

Estas foram algumas das respostas:

– Você está bem??

– Que foi? Bateu com o carro outra vez?

– Meu Deus, o que vc fez agora? 

– O que que vc quer dizer?

– Não fala com rodeios, me diz logo de quanto vc precisa !!!

– Estou sonhando?

– Se não me disser para quem era este SMS, eu juro que te mato!!!

E a mais significativa de todas:

– Quem é ?

SEXO: EXPLICAÇÃO PARA CRIANÇAS


12 de junho de 2014

A bola vai começar a rolar


Estamos a poucas horas do jogo Brasil/Croácia, o jogo de abertura do Mundial de Futebol 2014.
No próximo mês a atenção de muitos milhões de pessoas, um pouco por todo o Mundo (todos os Continentes estão representados na prova), vai desviar-se dos problemas habituais do dia a dia para se focar nas notícias que chegam do Brasil.
Portugal, apurado mesmo em cima da meta (já é hábito), não foge a esta regra.
A crise, os desmandos de alguns senhores, a discussão política, cederão temporariamente o lugar à Brazuca e às paixões a esta associadas.
Quando se aborda este tipo de provas a pergunta que todos fazem é - quem são os favoritos à vitória final?
Directamente ligada a esta uma outra, esta já mais de um ponto de vista estritamente português - estará Portugal entre esses favoritos?
Começo por esta última - não incluo a Selecção de Portugal no lote de favoritos.
Sejamos realistas - Portugal tem uma equipa pouco mais que vulgar, na qual se inclui um jogador invulgar.
Muito do que estes 23 jogadores vierem a fazer neste Mundial estará dependente do que fizer esse jogador.
Com um Ronaldo inspirado, e em boas condições físicas, Portugal poderá incluir-se num lote de equipas que poderão ser consideradas outsiders na luta pelo título e que poderão fazer uma prova interessante, as "coisas bonitas" de que falava Artur Jorge.
Estão nas mesmas condições as selecções francesa, italiana, belga, uruguaia, colombiana, por exemplo.
O lote de grandes favoritos, numa opinião muito pessoal, é encabeçado pelo Brasil.
Os brasileiros dispõem de um lote de jogadores fenomenais, com grande experiência nas mais fortes ligas europeias, jogam em casa.
Sobra sempre a dúvida - será que têm uma equipa?
A mesma dúvida se coloca acerca de holandeses e argentinos.
Grande equipa, e grandes jogadores, são características que têm que se reconhecer a espanhóis e alemães.
Deste conjunto de selecções, se não houver grandes surpresas, sairá o vencedor do torneio.
Seria muito bom que estivesse enganado e que os portugueses fossem a tal grande surpresa.
Mas não acredito.
A bola vai começar a rolar, é redonda, são onze de cada lado, e pode bem acontecer que Gary Lineker tenha razão - no fim, ganha a Alemanha.

E QUEM SOU EU?


Nesta altura da vida já não sei mais quem sou. 
Vejam só que dilema!!! 
Na ficha da loja sou CLIENTE, no restaurante FREGUÊS, quando alugo uma casa INQUILINO, na condução PASSAGEIRO, nos correios REMETENTE, no supermercado CONSUMIDOR. 
Para a Receita Federal CONTRIBUINTE, se vendo algo importado sou CONTRABANDISTA. Se revendo algo, sou MUAMBEIRO, se o carnê tá com o prazo vencido INADIMPLENTE, se não pago imposto SONEGADOR. Para votar ELEITOR, mas em comícios sou MASSA . Em viagens TURISTA , na rua PEDESTRE, se sou atropelado ACIDENTADO e no hospital viro PACIENTE. Nos jornais sou VÍTIMA, se compro um livro LEITOR, se ouço rádio OUVINTE.Para o Ibope sou ESPECTADOR, para apresentador de televisão TELESPECTADOR, no campo de futebol TORCEDOR. 
Se sou botafoguense, SOFREDOR. Agora, já virei GALERA. (se trabalho na ANATEL , sou COLABORADOR) e, quando morrer uns dirão FINADO, outros DEFUNTO, para outros EXTINTO, para o povão PRESUNTO. Em certos círculos espiritualistas serei DESENCARNADO, evangélicos dirão que fui ARREBATADO.
E o pior de tudo é que para todo governante sou apenas um IMBECIL !!! 
E pensar que um dia já fui mais EU. 

Luiz Fernando Veríssimo

11 de junho de 2014

Foi você que pediu....uma bomba de gasolina?


Macau é uma cidade que transborda espaços verdes como todos sabemos.
Atenta a essa realidade, que já roça o exagero, a Administração decidiu destruir um pequeno jardim, muito utilizado pela população, um pequenino pulmão no meio do betão, logo a seguir ao Hotel Regency, à entrada da Estrada de Lou Lim Ieok, para ali construir uma bomba de gasolina.
Uma bomba de gasolina que vai ficar situada numa zona muito movimentada, cada vez mais povoada, a pouca distância de uma outra já existente na mesma zona.
Não consigo compreender minimamente a racionalidade (???) desta decisão.
Racionalidade (???) que não é minimamente justificada, que permanece trancada no segredo de gabinetes aos quais a grande maioria da população não tem acesso.
No exercício activo dos meus direitos e deveres de cidadania tenho que confessar que, confrontado com uma decisão deste teor, sou imediatamente levado a pensar em crime ambiental.
Se estou enganado, e há razões que a minha razão desconhece, esclareçam-me por favor.

GLOBALIZAÇÃO


A melhor definição de GLOBALIZAÇÃO que os professores nunca ensinaram. 


Pergunta: 
Qual é a mais correta definição de Globalização? 

Resposta: 
A Morte da Princesa Diana. 

Pergunta: 
Por quê? 

Resposta: 
Uma princesa inglesa com um namorado egípcio, tem um acidente de carro dentro de um túnel francês, num carro alemão com motor holandês, conduzido por um belga, bêbado de whisky escocês, que era seguido por paparazzis italianos, em motos japonesas. A princesa foi tratada por um médico canadense, que usou medicamentos americanos. E isto é enviado a você por um brasileiro, usando tecnologia americana (Bill Gates) e provavelmente, você está lendo isso em um computador genérico que usa chips feitos em Taiwan e um monitor coreano montado por trabalhadores de Bangladesh, numa fábrica de Singapura, transportado em caminhões conduzidos por indianos, roubados por indonésios, descarregados por pescadores sicilianos, reempacotados por mexicanos e, finalmente, vendido a você por chineses, através de uma conexão paraguaia 

Isto é *GLOBALIZAÇÃO!!!*

10 de junho de 2014

Nam quê?


Já não há mistério, já não há tabu - a operadora de autocarros que vai tomar o lugar da falida Reolian é a Macau Nova Era de Autocarros Públicos, S.A.
Mas a Nova Era não representa propriamente uma nova era.
Porque a Nova Era é detida pela Sociedade de Transportes Colectivos de Macau, uma das operadoras que já presta este serviço.
Sociedade de Transportes Colectivos de Macau que, por sua vez, é detida por uma bem conhecida Nam.
A mesma Nam que controla a distribuição de alimentos, de combustíveis, a mesma Nam que se atrasou uns minutinhos na entrega de documentos quando foi aberto o concurso público para a concessão destes serviços e que se viu preterida face à Reolian.
Essa Nam.
Em terra de jogos, de muitos jogos, o croupier baralha, parte e dá aos mesmos.
"Nam" é nada uma nova era, pá! 


Remédio para pressão arterial




Eu tomo um remédio para controlar a pressão.
Cada dia que vou comprar o dito cujo, o preço aumenta.
Controlar a pressão é mole. Quero ver é controlar o preção.
Tô sofrendo de preção alto. 

O médico mandou cortar o sal. Comecei cortando o médico, já que a consulta era salgada demais.
Para piorar, acho que tô ficando meio esquizofrênico. Sério!
Não sei mais o que é real.
Principalmente, quando abro a carteira ou pego extrato no banco.
Não tem mais um Real.

Sem falar na minha esclerose precoce. Comecei a esquecer as coisas:
Sabe aquele carro? Esquece!
Aquela viagem? Esquece!
Tudo o que a "presidenta" prometeu? Esquece!

Podem dizer que sou hipocondríaco, mas acho que tô igual ao meu time:
- nas últimas.
Bem, e o que dizer do carioca? Já nem liga mais pra bala perdida...
Entra por um ouvido e sai pelo outro.

Faz diferença...
"A diferença entre o Brasil e a República Checa é que a República Checa tem o governo em Praga e o Brasil tem essa praga no governo"

" Não tem nada pior do que ser hipocondríaco num país que não tem remédio" 

Luiz Fernando Veríssimo

9 de junho de 2014

Quando a Saúde for TODA privada


Diz um médico para outro:

- Esse paciente deve ser operado imediatamente!

- Ai sim...? Então o que tem?

- Dinheiro!!! Montes dele!!!



O paciente está deitado na cama, no mesmo quarto estão o seu médico, advogado, esposa e filhos.

Todos eles esperam pelo último suspiro, quando de repente, o paciente senta-se, olha em volta e grita:

- Assassinos, ladrões, traidores, canalhas!!!.

Volta a deitar-se na cama e então o médico, confuso, diz:

- Acho que o paciente apresenta melhoras...

- Por que diz isso, doutor? - pergunta a esposa.

- Porque ele reconheceu-nos a todos.




Estavam a operar um paciente.

De repente, entra um médico no bloco operatório e grita:

- Parem tudo!!! Parem o transplante!!! Há uma rejeição!

- Uma rejeição? Do rim, doutor? - pergunta um dos médicos da equipa.

- NÃO!!! Do cheque !!!. O cheque não tem cobertura!




Um homem espera ansiosamente o resultado da intervenção cirúrgica da sua esposa.

Depois de algum tempo, o médico saiu da sala de operação e disse que o caso era muito sério. O homem ia ter de lhe dar de comer na boca porque ela não poderia tornar a mover as mãos, teria de a levar à casa de banho, trocá-la de roupa, banhá-la, etc., porque ela não mais poderia mexer-se.

O marido não se conteve e começou a chorar convulsivamente. 

Então o médico disse-lhe:

- Não chore. Acha que eu deixaria que uma mulher fizesse isso a um homem? Ela já morreu!

Um mulher fez plástica de tudo - nariz, pescoço, mãos, pele, facial, etc.

No pós operatório o cirurgião pergunta-lhe:

- Ficou satisfeita, ou deseja mais alguma coisa?

- Sim. Creio que gostaria de ter os olhos maiores e mais expressivos.

- Nada é mais fácil, minha senhora. Enfermeira!!! Traga a conta da senhora, por favor!

O cirurgião e o pós-operado:

- Doutor, eu entendo que esteja vestido de branco, mas porquê tanta luz?

- Meu filho, eu sou São Pedro.

- Doutor, o que tenho é grave?

- Não se preocupe, minha senhora. Qualquer dúvida será sempre esclarecida na autópsia.

BOA SEMANA!

6 de junho de 2014

Marido na ausência da mulher em férias



Querida: 

Muito obrigado pela tua linda e carinhosa carta. 

Podes ter a certeza de que eu sei tratar de mim, por isso, não te preocupes comigo. 

Durante a tua ausência, não se taaem passado nada de especial cá em casa. 

Enquanto estás fora, tenho preparado o meu próprio almoço, e todos os dias me espanto de como tudo tem saído bem!

Já que estou sempre com pressa, ontem decidi fazer batatas fritas. 
Já agora, diz-me uma coisa: era preciso descascar as batatas? 

Enquanto estavam a fritar, aproveitei para ir buscar uns brioches à padaria. 

Quando voltei, o esmalte da frigideira tinha derretido. 

Nunca pensei que o estupor da frigideira aguentasse tão pouco. 

E tu que me dizias que o Teflon aguentava tudo e mais alguma coisa! 

Já consegui tirar toda a fuligem da cozinha, mas o nosso gato Fred, é que ficou preto que nem um tição, e agora tosse o dia inteiro... Desde esse dia entra em pânico e foge quando mexo nas panelas ou abro o bico do fogão. 

Já que pelo menos uma vez por dia preciso de uma refeição mais elaborada, quando estou a fazê-la, o Fred dá 'às de Vila Diogo' e só aparece passadas umas horas.

Diz-me outra coisa: quanto tempo é que é preciso para cozer os ovos? 

Eu já os pus a ferver há duas horas, mas mesmo assim, continuam duros que nem uma pedra! 

Também queria que me dissesses se se pode aproveitar leite queimado. 

Queres que o guarde na despensa até tu voltares? 

Na semana passada tive um pequeno contratempo ao cozinhar umas ervilhas. 

Vou-te contar: agarrei numa lata e decidi aquecê-la. 

Mas, infelizmente, explodiu dentro do microondas. 

A porta do microondas foi projectada para fora da cozinha e foi dar contra a nossa pequena estufa de inverno, que claro, ficou partida, assim como a janela. 

Como a janela estava fechada (preciso de a fechar antes de começar a cozinhar, senão os bombeiros aparecem outra vez), a porta do microondas arrancou-a também, tal foi a força. 

Por sua vez, a lata de ervilhas, parecia um foguete a levantar voo!

Atravessou o tecto e foi embater na filha do Freitas, o nosso vizinho de cima. 

Parece-me que ela ficou bem. 

Outra coisa: já te aconteceu a louça suja ficar com mofo? 

Como é que isto se pode dar em tão pouco tempo? 

Afinal, tu foste de férias no mês passado, mas parece que foi ontem! 

Aliás, atrás do lava-louças há montes de bichos; daqui a pouco até vai dar para fazer um documentário e vendê-lo ao 'National Geographic'.

De onde é que saíram tantos bichos cheios de pernas? 

Puseste alguma coisa que não devias lá atrás? 

Bom, isto acabou por fazer com que eu tomasse uma atitude e lavasse a louça. 

Por favor não me insultes, meu amor, mas aquele lindo serviço de jantar de porcelana da tua avó, já era.

Eu realmente não contava com isso, afinal de contas parecia tão robusto e sólido! 

Bom, talvez eu tenha exagerado um bocadinho ao pôr o lava-louças no 'programa completo com centrifugação'.

Aliás, a máquina de lavar roupa também se escangalhou. 

A faca de aço temperado que eu pus lá dentro, sem querer, estragou o cilindro durante a centrifugação, porque ficou presa na parede interna. 

Quanto ao cilindro, atravessou a parede de tijolos, fazendo um pequeno buraco, e foi aterrar no jardim. 

Durante um dos almoços, sujei a carpete persa com molho de tomate. 

Sempre me disseste que as manchas do molho de tomate são impossíveis de tirar. 

Ficas a saber, meu amor, que com um bocadinho de aguarrás, sai tudo, mas mesmo tudo, inclusivamente, a lã e a seda da carpete. 

O frigorífico estava a fazer muito gelo, por isso, tive que o descongelar. 

Tenho que te ensinar uma coisa: o gelo sai facilmente se o raspares com uma espátula de pedreiro! 

Só não sei é porque é que agora passou a aquecer. 

O iogurte, a água com gás e o champanhe, explodiram. 

Sabes, querida, na passada quinta-feira, esqueci-me de, ao sair, fechar à chave a porta de casa. 

Alguém deve ter entrado, porque faltam algumas coisas de valor, entre elas, aquele colar de marfim que o teu bisavô trouxe da expedição a África, no século XIX. 

Mas, como tu costumas dizer, o dinheiro não dá felicidade, e tudo o que é material, é efémero. 

O teu guarda-vestidos também está vazio, mas penso que não devem ter levado muita coisa, já que, sempre que saímos, tu dizes que não tens nada que vestir.

Bom, vou ficar por aqui, mas amanhã conto-te mais coisas! 

Espero que te descontraias bastante no SPA e que gozes muito o teu descanso. 

Beijos mil, com muito amor, do teu Sérgio que muito te ama!!! 

P.S.: A tua mãe veio cá ver como estavam as coisas, e teve um enfarte. 

O velório foi ontem à tarde, mas eu preferi não te contar nada para não te estragar as férias e aborrecer-te desnecessariamente. 

Afinal de contas, tens que aproveitar as tuas férias e voltares muito descontraída do teu SPA. 

Beijos, do teu dedicado marido. 

Sérgio

BOM FIM-DE-SEMANA!

Lost in translation



I met a Chinese girl when I was in Shanghai, I asked her if she would escort me for a city tour and asked for her mobile number, so I could call her.

She got excited and said:

"SEX SEX SEX WANT FREE SEX FOR TO NIGHT".

Wow, I'm guessing this is how Chinese woman expresses hospitality!

But then, my friend interpreted for me and told me what she really said it was: "6 6 6 1 3 6 4 2 9"

Alentejanos sempre na vanguarda


5 de junho de 2014

E, aos costumes, dizem....nada!


Ensinaram-me há muitos anos que não é de bom tom fazer referência às especificidades de Macau.
Disse-o então, reafirmo-o agora com redobrada convicção - pode não ser de bom tom, mas é inevitável.
Uma dessas especificidades, que para mim ainda permanece envolta numa certa aura de mistério, é a sistemática convocação de conferências de imprensa por parte de entidades da Administração para dizerem que não vão dizer nada.
Porque ainda não é o momento adequado para revelar seja o que for, porque se trata de informação confidencial e que não pode ser revelada, porque ainda não foi tomada uma decisão, porque não querem dizer nada, mil e uma razões para convocar a imprensa e permanecer em sepulcral silêncio.
Se é essa a intenção, e se se quer oficialmente declarar a mesma, porque é que não se envia um comunicado à imprensa através do Gabinete de Comunicação Social?
Não faria mais sentido?!
Pois, deve mesmo ser uma das tais especificidades.
E esta é das tais que julgo ser mesmo muito específica.

Cultura ocidental vs cultura oriental

O lado esquerdo representa a cultura ocidental e o bloco vermelho, da direita, a cultura oriental.
Será mesmo assim?

ESQUERDA – CULTURA OCIDENTAL
DIREITA – CULTURA ORIENTAL

Objectividade



Estilo de vida


Rede de contactos


Fila de espera


Eu mesmo


Domingos nas ruas


Festa


No restaurante


Dor de estômago


Viagens


Definição de beleza


Solução de problemas


Transporte


Estilo de vida dos idosos


O chefe


As crianças


Percepção do outro