17 de setembro de 2014

Meliantes licenciados


Mais um tufão em Macau e a confirmação de que na cidade não existem taxistas, profissionais honrados e briosos deste ramo de actividade (as excepções à regra serão muito, muito poucas).
Ontem chegando-se ao extremo de se ver estes meliantes a conceder entrevistas às televisões confessando que não utilizam os taxímetros, que cobram os preços que lhes dá na real gana, que é pegar ou largar.
Tudo isto conscientes de estarem protegidos por um regime de impunidade que parece não ter fim.
Se os jornalistas conseguiram facilmente fazer reportagem e entrevistar as vítimas e os infractores, porque é que as entidades fiscalizadoras não o conseguem?
Provavelmente porque não andam na rua, fiscalizam sentados na secretária à espera que as queixas lhes cheguem às mãos para serem tratadas burocraticamente e como dados estatísticos.
Uma vergonha que se repete, que parece não ter fim, ao mesmo tempo que se vai também repetindo sem fim o slogan Centro Internacional de Turismo e Lazer.
Como é que se consegue este desiderato contando com um serviço de táxis que apresenta veículos em péssimo estado de conservação e segurança, porcos, conduzidos por gente sem escrúpulos, sem o mínimo de educação e civismo, capazes da mais indecente vigarice, é um mistério dificilmente decifrável.
Está em curso mais uma consulta pública que antecede a revisão do regime jurídico de transporte em veículos de aluguer (táxis).
Por mais revisões da legislação que regula o sector que se levem a cabo, pouco ou nada mudará se não existir fiscalização eficaz e penalização efectiva.
Não se percebe algo tão simples e evidente ou pura e simplesmente não se quer perceber?

17 comentários:

  1. Respostas
    1. luís,
      Nunca apanhei em Portugal bandidos deste calibre.
      Estes gajos acreditam (se calhar têm razão) que podem fazer tudo

      Eliminar
  2. Por cá também existem no aeroporto (hoje menos) e sobretudo no porto aquando da chegada dos grandes navios com milhares de passageiros. Fiscalização existe, por vezes apanhados levam com a coima, mas continuam a ser um "podre no belo postal turístico de Lisboa"!

    Enfim amigo, vigaristas e aldrabões existem em todo o lado!

    Um bom dia

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas estes são dos maiores escroques que vi na vida, Fatyly.
      Tudo com a complacência das autoridades (presumivelmente) competentes.
      Uma tristeza!

      Um bom dia aí para Portugal

      Beijocas

      Eliminar
  3. Se estou bem lembrada, o CE defendeu essa atitude exploradora e gatuna dos nossos taxista no penúltimo tufão...
    Já nada espanta!
    Mor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando as pessoas têm memória é uma coisa lixada, Mor!

      Vai mais um beijinho :))

      Eliminar
  4. Meu amigo Pedro, isso é transversal a todos os "profissionais" dessa área.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes sacanas aqui chegam aos píncaros, Ricardo.
      Só nas Filipinas e na Tailândia vi coisas semelhantes.
      Degradante!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Lastimo saber deste nefasto fato!
    Meu saudoso pai, o Sr. Benedito de Oliveira (1919-1997}, sustentou sua numerosa prole exercendo o ofício de taxista.
    Fico enternecido quando lembro que ele tinha muitos passageiros habituais, que embarcavam na sua máquina rodante de aluguel para se deslocarem na minha cidade de nascença, Santo André-SP, bem como em outras cidades do estado de São Paulo.
    Lastimo saber que os taxistas da cidade de Macau não estão na mesma sintonia do meu amado e saudoso pai!
    Caloroso abraço! Saudações desapontadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo João Paulo de Oliveira,
      Não generalizo, longe disso.
      Acredito que a maioria dos taxistas seja honesta e são até um auxiliar extraordinário para podermos conhecer as cidades.
      O problema aqui é que a maioria não presta, são feios, porcos e maus.

      Eliminar
  6. Se a história for muito badalada nos media não haverá gente de cima que se sinta incomodada? Como se desloca o cidadão comum e o turista que circula pelos casinos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A história é badalada há muitos anos, Agostinho.
      E nada é feito, nada muda.
      Os casinos têm grandes autocarros próprios e grandes limusinas.
      Acaba aliás de ser feita a maior encomenda de Rolls Royce da história da marca por um hotel de Macau - 30, sendo uma série deles personalizados com interiores com motivos em ouro.
      Enquanto isso, os táxis são uma m#$da!!

      Eliminar
  7. Surpreende-me que num país com o poder controlado seja assim.
    Beijinho, Pedro! :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas isto é em Macau, ana.
      Se for a Pequim vê o oposto.
      Tive um grande bate-papo com uma taxista em Pequim para lhe pagar o que estava no taxímetro porque ele insistia que teria que receber menos porque se tinha enganado no caminho.
      No final, eu e os amigos, pagámos-lhe mais do que o que estava fixado no taxímetro.
      Beijinho

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Em muitas coisas infelizmente é, Catarina.
      E da nada adianta fechar os olhos perante a realidade que temos à frente.

      Eliminar