27 de janeiro de 2014

O judeu


Um judeu, próspero empresário do ramo de confecções, ao queixar-se com um amigo com quem conversava sobre as noites de insónias que o atormentavam, recebe, e sem alternativas segue, o inevitável conselho de contar carneirinhos. 
Alguns dias mais tarde, mais exausto e deprimido do que nunca, reencontra o amigo que admirado com a sua expressão abatida lhe pergunta:
 - Alguma coisa não correu bem?
 - Esta história de contar carneirinhos, não sei se me está a fazer bem. Veja lá. Na noite passada comecei a contá-los, só que ao chegar aos dois mil passei a pensar na possibilidade de tirar a lã dos carneiros e tecer vinte mil casacos. Isto foi suficiente para me fazer passar o resto da noite sem dormir, preocupado em saber como iria conseguir vinte mil forros para os casacos.

4 comentários:

  1. Os judeus, alvos preferidos da troça à ganância, não são mais do que astutos e solidários empreendedores.
    Conseguem sólidas fortunas em todos os lugares para onde emigram e protegem os seus pares, económicamente mais débeis.
    Considero-os um exemplo, apesar de andar muito zangada com israelitas...

    Uma ótima semana, J.Pedro. Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma com israelitas, palestinianos e iranianos para publicar, Majo :))
      Uma óptima semana também, Majo.
      Beijinho

      Eliminar
  2. Isto é próprio de Judeus, Pedro.

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta é um bocado politicamente incorrecta, Luz.
      Que se lixe! :))
      Beijo

      Eliminar