12 de novembro de 2013

Linhas de Acção Governativa (2014)


Há um ano escrevi isto
Passou um ano e os maiores problemas da cidade não foram resolvidos.
Em muitos casos, até se agravaram  - custo de vida, habitação, trânsito, poluição, serviços públicos de saúde e educação muito maus, desordem urbana, ausência de política cultural, escassez de mão-de-obra qualificada e de uma verdadeira política de recursos humanos,.....matérias não faltariam para o Chefe do Executivo abordar e procurar apresentar soluções.
Nas últimas Linhas de Acção Governativa (LAG) deste primeiro mandato de Chui Sai On, não é isso que hoje vai acontecer.
As (baixas) expectativas do ano passado repetem-se (agravam-se??) neste.
O que é que verdadeiramente espera a população das LAG que vão ser hoje apresentadas?
Cheques e subsídios - quantos e quanto?
Nada mais que isso.
Convenhamos que é uma expectativa muito baixa e que não abona nada em favor de um Governo que não convence, muito menos entusiasma.

22 comentários:

  1. Respostas
    1. As moscas, mor?
      Mas fiquei contente por ter percebido que não há inflacção em Macau.
      Se não há aumentos para nós; não havendo aumentos para o sector público, também não haverá no privado; isso só pode significar que não há inflacção em Macau.
      De outra maneira, como é que um governo cheio de dinheiro não aumentava os seus funcionários?
      Só pode ser por não haver inflacção.
      E eu que ia jurar que estou a gastar mais dinheiro, entre muitas outras coisas, no supermercado.
      Está visto que estava enganado.

      Eliminar
  2. Enquanto forem cheques e subsídios já não é mau, Pedro!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais ou menos como tentar curar doenças terminais com Panadol, Ricardo :(
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  3. "Oh, inclemência! Oh, martírio! Estará, porventura em perigo a saúde «deste sistema político»que eu ajudei a criar?" Parece-me bem que sim, que a esmagadora maioria da classe política deveria ser reciclada.

    Quanto ao post abaixo, porque os adjectivos publicáveis quanto à corja da coligação PSD/CDS já se me esgotaram nem comento.

    Bom dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já nem digo nada, São.
      Aqui não temos uma democracia de tipo ocidental, nem nada que se assemelhe a tal.
      E veja bem os resultados.
      Quando os líderes políticos não são responsáveis perante a população, que não os elege nem os pode destituir, o resultado e sentirem-se intocáveis.
      E nós impotentes.

      Eliminar
    2. Nós aqui (ainda) podemos votar realmente.

      Mas, pode ter a certeza, o presente Governo é intocável,,pode fazer os disparates mais inconcebíveis - e fá-los ! - porque sabe que o reformado do Lar de Belém é o seu seguro de vida, pois "Portugal tem que ser normal aos olhos dos nossos parceiros e , portanto, só deve ter eleições de quatro em quatro anos. Além disso este Orçamento de Estado par 2014 é crucial", pelo que , claro, não haverá envio para o Tribunal Constitucionla.Até porque se tornou um alvo a abater e um bode expiatório sobre o qual Barroso, Lagarde e afins se permitem opinar!!

      Bom dia.

      Eliminar
    3. A resposta que lhe dei no outro post dá para perceber a frustração, São.
      É a perfeita sensação de impotência :(

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Pelo menos é possível eleger, censurar, demitir, os governantes.
      Aqui, não :(

      Eliminar
  5. [conhecemos bem estes políticos.
    só mudam de endereço]

    abç

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas aqui não são eleitos nem responsáveis perante as populações, Margoh :(

      Eliminar
  6. Se passasse aqui um ano, Pedro, até achava esse governo bom :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como diria o Cunhal, olhe que não, olhe que não, Carlos.
      Muito mau, mesmo!

      Eliminar
  7. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    O que deixa-me profundamente desalentado é que no bojo da política somente muda as moscas.
    Falando em moscas estou exasperadíssimo com mais um escândalo de corrupção que veio à baila na Prefeitura da cidade de São Paulo, onde fiscais foram desmascarados num esquema milionário de sonegação de imposto em troca de propina. O prejuízo para os munícipes paulistanos é por baixo na ordem de R$500,000.000,00 (quinhentos milhões de reais).
    Caloroso abraço! Saudações inconformadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faltam estadistas, sobram politiqueiros pantomineiros, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Um fenómeno que acontece um pouco por todo o Mundo.
      Grande abraço!

      Eliminar
  8. Parece que o governo macaense tem muitas semelhanças com o nosso: a cada ano que passa, piora! :P

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inenarrável, Teté.
      E sem que os cidadão possam fazer algo.
      Há aí uns parvos que mandam uns berros, atiram uns ovos, ainda descredibilizam mais quem genuinamente se sente ofendido com tanto disparate.

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Não consigo dizer quais são piores, luisa.....

      Eliminar
  10. Suponho que a Humaninade atravessa uma fase má sob o ponto de vista social, económico, cultural e político. Ás vezes pergunto-me o restará para as gerações vindouras....

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com decisões (???) destas temo que não deixaremos nada de interessante, Maria do Sol :(
      Abraço

      Eliminar