23 de outubro de 2013

Putin e as minorias islâmicas


 
     NO DIA 4 DE FEVEREIRO DE 2013,VLADIMIR PUTIN, O PRESIDENTE RUSSO, FALANDO À DUMA (PARLAMENTO RUSSO) FEZ O SEGUINTE DISCURSO SOBRE AS SITUAÇÕES DE TENSÃO QUE SE DÃO COM AS MINORIAS NA RÚSSIA:
"NA RÚSSIA VIVEM RUSSOS. QUALQUER MINORIA,SEJA ELA DONDE FOR,QUE QUEIRA VIVER,  TRABALHAR E VIVER NA RÚSSIA, TEM QUE RESPEITAR AS LEIS QUE GOVERNAM A RÚSSIA.
SE PREFERIREM A LEI SHARIA, ENTÃO AVISAMO-LOS PARA IREM PARA  OS PAÍSES  ONDE ESSA SEJA A LEI ESTATAL.
A RÚSSIA NÃO TEM NECESSIDADE DE MINORIAS.
AS MINORIAS É QUE NECESSITAM DA RÚSSIA, E NÓS NÃO LHES CONCEDEREMOS PRIVILÉGIOS ESPECIAIS, NEM TENCIONAMOS MUDAR AS NOSSAS LEIS PARA IR AO ENCONTRO DOS SEUS DESEJOS, NÃO IMPORTANDO QUÃO ALTO GRITAREM "DISCRIMINAÇÃO".
SERÁ MELHOR QUE APRENDAMOS COM OS SUICÍDIOS DA AMÉRICA, INGLATERRA, HOLANDA E FRANÇA, SE QUISERMOS SOBREVIVER COMO NAÇÃO.
OS COSTUMES E TRADIÇÕES RUSSAS NÃO SÃO COMPATÍVEIS COM A FALTA DE CULTURA OU OS MODOS PRIMITIVOS DA MAIOR PARTE DAS MINORIAS.
QUANDO ESTE HONORÁVEL CORPO LEGISLATIVO PENSAR EM CRIAR NOVAS LEIS, DEVERÁ TER EM MENTE EM PRIMEIRO LUGAR OS INTERESSES NACIONAIS, ATENDENDO QUE AS MINORIAS NÃO SÃO RUSSAS.
 
OS POLÍTICOS NA DUMA  PRESTARAM A PUTIN UMA ESTRONDOSA OVAÇÃO.

OPINIÕES??

19 comentários:

  1. Nem vou opinar.
    Aceito o multiculturalismo mas não me digam que têm que tirar o presépio, por exemplo e já que estamos perto do Natal, porque pode ofender outras religiões…
    A Polícia Montada tem chapéu de abas largas... mas desde 1990 tem elementos com turbantes... e eu não consigo ainda pensar com a cabeça fria! : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina,
      Multiculturalismo implica aceitar as diferentes culturas, os diferentes costumes, as diferentes religiões.
      O que vejo da parte dos muçulmanos radicais é uma vontade de impor a sua cultura, a sua religião, os seus costumes e tradições.
      E, efectivamente, uma atitude subserviente da maior parte do chamado mundo acidental perante estas imposições.

      Eliminar
  2. Vou ser ... polémico, posso?
    Eu concordo em absoluto com o que V. Putin afirmou, aliás, algo que sempre me irritou foi o facto de que vem de fora tentar impor (de que forma seja) a vontade minoritária de alguns nos quais incluo, nomeadamente, ciganos, muçulmanos, entre outros.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso não é ser polémico, Ricardo.
      É não ser politicamente correcto.
      Eu não acredito em imposições.
      Receio de quê?
      Não imponho os meus valores a ninguém, não admito que me imponham os valores de terceiros.
      Ponto final!
      O que estou a escrever aqui disse-o na cara a um muçulmano, filho de um imã aqui em Macau (o célebre Ramal dos Mouros).
      Não podia ir em missão oficial porque os talhares não podem estar misturados com os outros, têm de ser lavados de determinada maneira, não pode fazer isto, aquilo e aqueloutro.
      Perguntei-lhe quem é que o tinha obrigado a vir trabalhar para aqui e se alguém o obrigava a continuar a trabalhar aqui.
      Se não aceita as regras, diga adeus, dê o lugar a outro.
      Não sei se me lançaram alguma fatwa, estou-me nas tintas.
      Aquele abraço!!

      Eliminar
    2. Concordo com VP, com o Ricardo e contigo. Quem emigra deverá tentar integrar-se na sociedade obedecendo às regras da mesma e não esperar que seja ela a adaptar-se ao seu modo de ser e estar...o que poderá ser sempre na sua própria casa.

      Tal como em escolas francesas não se pode andar de cara tapada, ou respeitam e obedem ou então santa paciência...mudem-se!

      Infelizmente na Europa por haver essa imposição é certo e bem verdade que algumas minorias fazem o que querem e por vezes aprontam a manta!

      Eliminar
    3. Macau é um bom exemplo, Fatyly
      Há aqui várias minorias étnicas, culturais.
      Mas que, obviamente, não impõem a sua cultura e a sua mundividência.
      Era o que faltava!

      Eliminar
  3. Se a Angela Merkel fizesse um discurso destes, até os alemães ficavam irritados, e a Esquerda Portuguesa queimava-a viva; quando esteve em Portugal só queimaram a boneca.

    Claro que um país que teve um Hitler não pode falar assim; só que a Rússia teve um Estaline, que não era melhor raça, e o Putin discursa assim, e a Esquerda Portuguesa cala o bico.

    O que me irrita nos portugueses da Esquerda é serem completamente cegos do olho esquerdo.

    Saudações de Düsseldorf, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Putin quer, com este discurso, intimidar, ematejoca.
      E, com isso, colocar ordem na casa.
      Como dizem os brasileiros - nem vem que não tem!!

      Eliminar
  4. O mesmo se passou ontem em Inglaterra e há dias em França. O mundo está a ficar muito perigoso, Pedro. Recomendo-lhe a leitura do artigo de Rui Tavres no Público de hoje (23/10). Muito, muito, preocupante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Começa a ser patente que o Ocidente se baixou em demasia perante as exigências islâmicas, Carlos.
      E, de um momentos para o outro, estamos a passar do oitenta para o oito

      Eliminar
    2. É isso mesmo, Pedro, o Ocidente foi demasiado tolerante, para quem não conhece o significado de tolerância.

      Desta vez, nem vou falar da Alemanha, mas sim da Holanda, o país mais tolerante que conheci, mas as exigências islâmicas estragaram tudo, e a Holanda está a ficar pouco tolerante, embora ainda não tenha passado dos oitenta.

      Eliminar
  5. Pedro,
    A "Guerra Santa" não faz sentido. Defendo a tolerância por isso não compreendo o fundamentalismo.
    Mas este seu post, trouxe-me alguma inquietude, pois até certo ponto Putin tem razão. Porém, ele devia respeita a maioria sem centralismos de Estado.
    Uma postagem interessante e polémica.
    Vim dizer-lhe que coloquei mais duas fotos do café Guarany para ver a atmosfera. Tem dois painéis da Graça Morais.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão é mesmo essa, ana - fundamentalismo.
      Venha de onde vier, é intolerável.
      Respeito por culturas, ideias, religiões diversas.
      Tem que ser assim.

      Vou visitar o blogue hoje.

      Beijinhos

      Eliminar
  6. Acho que já venho tarde a está discussão mas para além de concordar, quero dizer que já li isto há tempos posto na boca de um ministro na Austrália... copiaram-se ou são mais uma das coisas falsas que correm na net?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa pergunta.
      Infelizmente, não conheço a resposta

      Eliminar
    2. Desculpem a má concordância... "é mais uma..." E NÃO "são mais uma..."!

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Como já expliquei anteriormente, as minhas fontes são amigos.
      Mas encontra esta referência numa pesquisa no Google
      É correcta?
      Não posso afirmar com um razoável grau de certeza

      Eliminar