30 de outubro de 2013

Macau devia encerrar temporariamente para obras


Que Macau é uma cidade em obras já todos sabemos.
O que é incompreensível e inaceitável é que sejam feitas todas ao mesmo tempo.
Não há o mínimo de cuidado, de programação, de interligação entre diferentes departamentos.
O resultado é, naturalmente, caótico.
E o dia a dia dos residentes vai ficando progressivamente insuportável.
Sem que ninguém assuma responsabilidades ou seja responsabilizado por esta esquizofrenia.
Esquizofrenia que se vê agravada pela ausência de alternativas pensadas e implementadas antecipadamente para situações que facilmente se pode prever que causem sérios embaraços aos cidadãos.
Exemplo mais recente - as obras que estão a ser realizadas logo a seguir ao MGM Macau, numa zona de intenso tráfego, sobretudo em horas de ponta, que afunilaram o trânsito naquela zona nevrálgica da cidade.
Obras que, mais uma vez, por total ausência de programação, coincidem com a preparação do Grande Prémio de Macau, este ano a celebrar os seus 60 anos e a ter lugar durante dois fins de semana.
Tinham mesmo que ser realizadas agora?!
E, se assim for, não foram pensadas alternativas porquê?
Uma hipótese ocorre logo à mente - durante a realização destas obras, como forma de descongestionar o trânsito naquela zona, que tal abrir a Ponte Nobre de Carvalho ao trânsito automóvel?
Não é possível?
Se não for, agradecia que me informassem porquê.
Sim, porque dizer, como disse um responsável governamental, qualquer coisa do género - "levantem-se mais cedo" -  não é alternativa.
É ofensa.

16 comentários:

  1. Apoiado, Pedro! Macau está a tornar-se uma cidade insuportavel...
    Boa semana!
    Mor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque está a ser gerida por gente totalmente incompetente e irresponsável, Mor.
      Estão a ser ultrapassados os limites do tolerável.
      Boa semana!

      Eliminar
  2. Então um senhor do Governo diz para cedo erguer e o Pedro fica ofendido?
    Então, que é feito daquela máxima "cedo deitar e cedo erguer dá saúde e faz crescer"?
    Pedro, há que gastar dinheiro em Macau e dar de "comer" a alguém ou alguns e por aqui me fico!!!
    Aquele abraço, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na mouche, Ricardo.
      Mas há dias em que um tipo se passa dos carretos.
      Hoje foi um desses dias.
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  3. "Levantem-se mais cedo"?! A classe dirigente mundial está a necessitar urgentemente de apoio psiquiátrico!!

    No ano passado, na Polónia, uma das inúmeras estradas com obras por onde passei, estava a ser arranjada há três anos, imagine.

    Eu costumo dizer que Portugal necessita encerrar durante um tempo para balanço e depois recomeçar com alicerces firmes....Fantasias, rrss

    Tenha excelente dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até parece mentira, não é, São?
      Pura verdade.
      Dá vontade de lhe dar uns tabefes.

      Eliminar
  4. Andaram todos na mesma escola e por cá o que foi antes das eleições autárquicas? Claro que agora o que restou de arranjos...e ficaram na gaveta é o "inferno" para peões já paranão falar dos automobilistas.

    Ganham o que ganham, roubam o que roubam...e nisso Portugal não está sózinho. Enfim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly,
      Como eu compreendo estes caramelos!
      Já são muitos anos aqui, não é?
      Quando chega a esta altura do ano, e com taxas de execução dos projectos apresentados e das verbas orçamentadas próximo do ridículo, está de inventar obras para gastar dinheiro.
      Não seria grave (há MUITO dinheiro) se não criasse sérios problemas ao dia a dia das pessoas.

      Eliminar
  5. Por aqui obra-se pouco ou nada!
    Não há dinheiro nem para mandar cantar um cego! :(

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dinheiro é o que aqui há mais, Rosa dos Ventos.
      Falta é juízo e capacidade.
      E isso é muito complicado.
      Abraço

      Eliminar
  6. Por sinal, ainda há poucos anos, aqui na minha zona era um ver se te avias: vinha a EPAL, abria buraco, demorava não sei quanto tempo a arranjar, tapava. dois meses depoiis, era o gás, a mesma cena. E 15 dias depois, era a vez da EDP. Claro que não é uma zona central, mas fazia mossa a toda a vizinhança e a pessoas que vêm de outras zonas, que o trânsito empacava todo ali. O curioso é que nem sempre tinham tempo de voltar a alcatroar a estrada, porque ou estava de chuva, ou já já estava outra empresa a furar. Agora parece que melhorou, mas isto durou anos...

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso que me tira do sério Teté - não coordenam, não falam, não contactam uns com os outros, porquê??
      E, em Macau, que é tão GRANDE (demora-se para aí cinco minutos para contactar os vários departamentos cara a cara) é incompreensível!
      Beijocas!!

      Eliminar
  7. Por momentos julguei que o Pedro falava de Portugal...nós e aquela mania de acharmos que lá fora não há os problemas de cá...

    Beijinho e muita calma :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia que Macau é o paraíso é TÃO errada, maria.
      E, atenção, eu gosto muito de Macau.
      Se não gostasse nem me dava ao trabalho de criticar.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Aqui já foi assim, mas agora Portugal já encerrou para remodelações

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui é um vê se avias, Carlos.
      Sobretudo nesta altura do ano para ver se se gastam as verbas do PIDDA que não se gastaram durante o resto do ano.

      Eliminar