4 de setembro de 2013

A Ribeira do Patane e o Iraque


Nos últimos dias apareceu uma brutal quantidade de peixes mortos na zona da Ribeira do Patane.
Ao ouvir as possíveis justificações dadas por responsáveis governamentais para explicar este trágico fenómeno, não consigo evitar uma sensação de déja vu.
A sensação que, a última vez que ouvi um discurso semelhante ao que agora nos é dado ouvir, houve uma guerra e uma mudança de regime político no Iraque.
Miguel Esteves Cardoso, com a ironia que só ele consegue atingir, e fazendo uso da sua assumida costela de "bife", dizia que estas situações revelam o abuso de um fármaco muito perigoso - o DENIAL.
Deixando os anglicanismos de lado, e voltando-me para o Brasil, apetece-me deixar aqui um recado, que é mais um ralhete,  às entidades responsáveis - caiam na real!!!

11 comentários:


  1. É verdade, usa-se e abusa-se do denial, com consequências desagradáveis e/ou perigosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao ouvir os responsáveis governamentais comentarem esta situação, dá a impressão que paparam umas caixas, Catarina.
      Um pouquinho de DENIAL pode ser prejudicial.
      Em excesso, é terrível!

      Eliminar
  2. "Caiam na real" é aplicável aqui e no texto anterior, mas parece-me que quem detém o Poder vive num mundo que não é o nosso , mas sim o das suas fantasias - onde, calafetados pelos seus confortos e excelentes rendimentos - não têm noção do impacto das suas políticas e ambições na vida das pessoas, na melhor das hipóteses. Na pior, para mim a mas verdadeira, até porque há já quem o assuma publicamente, porque pura e simplesmente isso lhes é de todo indiferente.

    Tudo de bom, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. São,
      Toneladas de peixes mortos e o pelico é do género pode ser coiso, treloiso, ou a bem dizer.
      E um tipo fica à espera que, à semelhança do chefe de propaganda iraquiana, quando os americanos já tinham partido aquela porcaria toda e ele dizia que estava tudo bem, este nos digam que os peixes se suicidaram.
      Não há pachorra!!

      Eliminar

    2. Queria escrever paleio e não pelico :)))

      Eliminar
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Lastimo saber deste crime ambiental!
    Caloroso abraço! Saudações ambientalistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais um, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Uma tristeza.
      E com explicações que chegam ao ofensivo.
      Grande abraço!!

      Eliminar
  4. Continuam a varrer as questões ambientais para debaixo do tapete, mas um dia destes vão arrepender-se..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui, cada vez mais é assim, Carlos.
      Há organismos oficiais para tratar dessas questões.
      mas são tão ineficazes (incompetentes??) que era melhor nem existirem.

      Eliminar
  5. Por acaso também tenho essa sensação de 'déjà vu" e de nem me apetecer ver o resto do filme, que já sabemos como acaba... :P

    Beijocas!

    ResponderEliminar