18 de julho de 2013

Norte vs Sul

Relato histórico feito por um general de Napoleão, de seu nome Charles François Dumouriez, antes das invasões francesas.

Nota:

Para quem não sabe (eu também não fazia ideia!),Charles François Dumouriez foi uma das figuras mais polémicas da sua época. Herói, espião e traidor, viveu uma vida marcada por contrastes. Da sua visita a Portugal em 1766, provavelmente como espião, escreveu um livro ("O Reino de Portugal em 1766, de Charles Dumouriez, publicado pela Editora Celeidoscópio em 2007) que nos fornece um importante panorama sobre o nosso país no século XVIII. Descrevendo a sua geografia, as colónias, o exército, os costumes, bem como a organização política e social, não deixando de falar sobre as touradas



Quem concorda, quem discorda?

8 comentários:

  1. É mentira! Os portugueses também não gramam nem nunca gramaram os avecs. :P

    E os do "nuorte" também já não são assim como ele descrevia, se é que aquilo que ele escreveu é verdade... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já temos uma opinião.
      Vamos ver se há mais.
      E em que sentido.

      Eliminar
  2. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Não me atrevo a opinar sobre este cidadão polêmico, que viveu na época que estávamos sob a égide do reino distante além-mar.
    Certamente o livro, com o viés polêmico do autor, nos revela usos e costumes dos seus patrícios do século XVIII...
    Algumas décadas depois a família real portuguesa instalou-se aqui (1808-1820, mudando radicalmente nosso modo de vida. Entre os pontos positivos destaco que a vinda da Corte possibilitou o fortalecimento da unidade nacional e evitou a formação de várias repúblicas de língua portuguesa, como aconteceu com as colônias espanholas.
    Caloroso abraço! Saudações independentes!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Amigo João Paulo de Oliveira,
      Estes cliché que fazem a cisão Norte/Sul ainda hoje permanecem.
      Mas não passam de uma generalização sem sentido, uma absoluta tolice.
      Aquele abraço!

      Eliminar
  3. Já conhecia este texto que é no mínimo exagerado...

    ResponderEliminar
  4. Descreve pontos positivos e negativos, mas como diz a Su acho que está consideravelmente exagerado... Mas tenho saudades de um tempo que não vivi, das ganas que tínhamos num tempo que não nos deixávamos governar por gentes de fora...

    É que aparte todos os defeitos, quando era para expulsar "invasores" o povo unia-se, actualmente isso não acontece, e quando falo em união, não falo em manifestações, falo mesmo no facto de nos faltar uma maneira colectiva de estar, num modo uno de pensar.

    Infelizmente no nosso país há muita gente que pensa em si e não se compadece em roubar o estado que somos todos nós (falo por exemplo das situações que ferem a minha área, a área da farmácia,que actualmente vê a ser investigadas e descobertas, que foram roubos de milhões - é revoltante)...

    E como costumo dizer, e agora? E agora pagamos todos! E se for preciso os que roubaram safam-se. Aiii desculpe o desabafo em que me desvio do tema, numa espécie de grito silencioso de revolta...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é o mais revoltante, Poppy - uma cambada que se encheu e que agora obriga todos os outros a pagar-lhes as contas.

      Eliminar