26 de julho de 2013

Cenas criminais com piadas policiais


(Excertos de autos elaborados pela GNR e PSP, peças processuais e diligências)

 - Um agente da PSP desloca-se à residência de um casal que anda desavindo e escreve no auto de notícia que: "o sr. x anda muito frustrado porque pagou cerca de 5 mil euros pelos implantes mamários da sua mulher e suspeita que outro cidadão está a usufruir desses dividendos".

- Escrevia um GNR num auto de notícia:"Numa acção de fiscalização, estando eu de arvorado ao carro patrulha, mandei parar o veículo supra identificado e pedi ao condutor os documentos pessoais e da viatura. Em resposta, disse-me aquele que se o autuasse me iria ao cú, o que fez três vezes."

- A GNR participa acidente e explica que "naquele local o asfalto da estrada era de terra batida".

- O gatuno era "herdeiro e vozeiro naquele tipo de condutas".

- Auto de notícia em que se diz que a ofendida foi encontrada em "lã-jeri".

O arguido era "de raça nómada".

- O arguido resolve acabar o seu requerimento de uma forma cordial: "Pede deferimento" e logo a seguir ... "As minhas sinceras condolências".

- "O  denunciado proferiu vários impropérios na Língua de Camões e também em língua francesa"

-"O individuo trazia o produto estupefaciente junto do órgão genital masculino vulgo pénis"

- Diligência de inquérito: "Solicite à PSP que, em 48h, diligencie por identificar o denunciado que se sabe ter cerca de 16 anos e usar boné"

Quem comete o crime de "borla" é um "borlista" profissional.

- Auto de denúncia: "enquanto proferiam tais ameaças permitiam-se ainda chamar nomes ofensivos tais como "puta, vaca, jornalista, advogada, ladra, que era boa era para ir para a Ordem dos Advogados".

O arguido antes de bater no ofendido atirou-lhe com uma caixa em plástico, "nomeadamente um tampa-roer".

- "O arguido atirou um paralelo-ipípado".

- "O arguido trazia uma techerte azul às riscas".

- "Os meliantes colocaram-se em fuga, ao volante de uma Picap"

- Na sequência de uma queixa por crime de furto de um veículo a GNR informa que recuperou a dita viatura no entanto a mesma vinha cheia de moças.

- Caso de uma averiguação de causa de morte em que foi determinada a "autópsia parcial" do cadáver.

- Auto de notícia em que a GNR denuncia o furto de 24 galinhas das quais uma era galo.
 

8 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Nos meus longos anos como agente de polícia igualmente vi relatórios e autos que bradavam aos céus, como tal não fiquei admirado com todos esses processos rsrsr.
    Na Tailândia o canal de televisão 7, passa diariamente, durante uma hora, casos veridicos passados com agentes policiais, é de partir a moca.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A próxima vez que for à Tailândia vou procurar esse canal 7 Não conhecia.

      Eliminar
  2. É o que dá meterem bófias com poucas qualificações. :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos a gente ri-se, FireHead.
      Não se perde tudo :))

      Eliminar
  3. Os autos de polícia davam para escrever um livro.

    ResponderEliminar
  4. Este género de linguagem é quase património imaterial :)

    ResponderEliminar