23 de abril de 2013

Autocarros em Macau - prejuízos, subsídios e aumentos de tarifas


O serviço de transportes públicos (autocarros e táxis) em Macau é mau.
Deixando de lado os táxis, é dos autocarros que agora se fala.
Porque as tarifas vão ser revistas, aumentadas em 23%; porque esse aumento, ao contrário de outros, contempla retroactivos, não se sabendo apenas exactamente a partir de quando; porque as empresas que exploram o serviço público de autocarros se queixam de prejuízos, mas não os quantificam; porque o Governo vai subsidiar essas empresas porque hipoteticamente estão a perder dinheiro.
Tudo muito estranho, um processo muito opaco, muito confuso, com variantes incompreensíveis.
Em primeiro lugar, porque é que se aumentam as tarifas dos autocarros se o serviço que prestam é mau?
O aumento devia ser a contrapartida de uma clara melhoria dos serviços prestados, com provas dadas durante um período de tempo algo alargado,  e não uma mera formalidade.
E devia ser acompanhado de uma exigência de renovação da frota com a utilização de veículos mais confortáveis e menos poluentes.
Pior que esta pura operação matemática, é a que se lhe segue - o aumento de tarifas é acompanhado da atribuição de retroactivos.
Porquê se não há melhoria dos serviços prestados e porquê só para duas das três empresas?
É preciso explicar estas decisões muito bem para que não fique a ideia de favorecimento a determinados sectores em detrimento de outros.
E é preciso tomar, em definitivo, outras - se há retroactivos, estes começam a ser contados a partir de quando?
Já houve tantas versões....
Como é preciso explicar e quantificar com exactidão os prejuízos económicos hipoteticamente sofridos pelos prestadores do serviço.
Dizer publicamente que se perde dinheiro não pode ser argumento suficiente para se justificar um aumento de tarifas e uma concessão de subsídios por parte do Governo.
E, aqui também, há algo que me soa muito estranho.
Quando constantemente se agita a bandeira da economia de mercado em Macau, como é que se explica que empresas de grande dimensão, quando hipoteticamente sofrem prejuízos, sejam subsidiadas pelos bolsos largos e fundos da Administração?
Até apetece comentar que assim é muito fácil ser empresário de sucesso em Macau.

16 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Como saber sou um utente frequente dos autocarros c
    a em Macau, das três companhias a operar a Sun Fok Lei ainda é a melhorzita as outras duas, uma delas os aasentos são super incomfortáveis, espero que os novos autocarros, os tais consumindo CNG seham melhores.
    Os piores são os da Reolin bem como os seus serviços, mas pior do que isso é a falta de civiscmo por tarde das pessoas.
    Em Hong Kong ontem verifiquei que nas paragens de autocarros existem linhas para as bichas para as diversas carreiras, Macau nem isso sabe imitar.
    Transprte de malas de tamanho descomunal entram nos autocarros e os condutores nada dizem, bem como outras coisas, mas enfim, os sinas de bancos para idosos, crianças ou doenets é só para inglês ver, ninguém fiscaliza nada.
    Perdem dinheiro? não acredito, pois andam na maioria das vezes sempre cheios, bem mas eles é que sabem mamam e quem lhe pode fornecer esse preciosos leite, sem terem que dispenderem do seu bolso.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Amigo Cambeta,
    Se perderem dinheiro, qual é o grande problema?
    Uma empresa é igual a clube de futebol - ganha; fica com o balanço equilibrado (empata); ou perde.
    Se for para nunca perder, porque se perder o governo põe a mão por baixo, quero ser empresário JÁ!!
    Economia de mercado quando e se convém.
    Subsídios governamentais - sempre!!
    Pata que os pôs!!

    Aquele abraço!

    ResponderEliminar
  3. Ai, Pedro, substitua Macau por Portugal e ficará tudo correcto na mesma...

    Que tristeza!

    Bom dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São,
      Assim é muito simples ser empresário de sucesso, não é?
      Se há prejuízos os governos compensam e sem fazerem grandes perguntas.
      Até enerva.

      Eliminar
  4. Falo do que conheço, Pedro.

    Em Lisboa, os transportes públicos têm boa qualidade.
    Caros sim, e os aumentos não param.

    No Concelho onde vivo (Almada), são de péssima qualidade, a frota não é renovada e os preços são, ainda, mais caros.

    ResponderEliminar

  5. António,
    Aqui o serviço é mau, os condutores são brutos, os veículos não prestam.
    E há aumentos de tarifas e subsídios porquê?
    A gente até sabe porquê
    Mas provoca e fica à espera de resposta.
    Aquele abraço!

    ResponderEliminar
  6. O que me faz mais confusão, é que os administradores das principais empresas de transportes de Lisboa recebam vencimentos chorudos e uma série de regalias, quando a empresa dá prejuízo. Em tempos (não sei se se mantém) até recebiam prémios. Estou farta de dizer que para ser administradora assim de empresas com prejuízo, também eu conseguia! :P

    É, pelos vistos não é muito diferente daí. Será herança que deixámos?!?

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teté,
      Administradores de sucesso, não é?
      Como estes empresários.
      A mamar na mama do Estado somos todos grandes empresários e gestores.
      E, respondendo à pergunta, é mesmo um vício que por aqui deixámos.
      Beijocas!

      Eliminar
  7. Ainda existem empresário de grande gabarito!

    beijnho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adélia,
      Com estas ajudas eu consigo ser um empresário de sucesso a vender gelados no Pólo Norte :))
      Beijinho

      Eliminar
  8. Pedro,
    Reparo que se vê na fotografia a nossa calçada à Portuguesa. Parece que há paralelismos...
    Beijinho!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ana,
      A calçada portuguesa é um vício, até.
      Mas não é o único :))
      Beijinho!

      Eliminar
  9. E a responsabilização por uma possivel má gestão? Bem mas retroactivos é demais, isso existe quando se trata de ordenados?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É essa a discussão, Poppy.
      Nós, funcionários públicos, vamos ser aumentados a partir do próximo mês - 6,06%.
      Onde estão os retroactivos?
      Nada para ninguém!

      Eliminar