20 de novembro de 2012

Ainda o Grande Prémio de Macau e o hino nacional



Declaração prévia - sou amigo do coordenador da Comissão de Organização do Grande Prémio de Macau (COGPM), João Manuel Costa Antunes.
Sendo amigo de Costa Antunes, não sou seu advogado de defesa, não tenho procuração para o defender das acusações que lhe são dirigidas.
Como tal, o que vou escrever é o que penso acerca do que se passou no 59º Grande Prémio de Macau, designadamente na cerimónia de entrega do troféu ao vencedor da prova de fórmula 3, o português António Félix da Costa.
A troca de hinos foi um borrada colossal, um disparate inimaginável, imperdoável, no limite mesmo uma falta de respeito.
Ainda assim, e sem pretender desculpabilizar nada nem ninguém, não é caso virgem.
Têm aqui uma prova do que afirmo.
Erros só não os comete quem nada faz.
Ficamos assim e ponto final?
Obviamente que não.
O primeiro que não quererá deixar o caso morrer assim é o próprio Costa Antunes.
Como ele mesmo afirmou, há que perceber muito bem o que efectivamente aconteceu, porquê, como (coisas "muito estranhas" que aconteceram nesta edição do Grande Prémio, como dizia Costa Antunes).
Para que não se repitam situações como esta ou semelhantes.
Daí até se chegar ao ponto de, como se começou a ouvir imediatamente a seguir a este incidente, pedir a cabeça de Costa Antunes, vai uma enorme distância.
O Chefe do Executivo, na apresentação das Linhas de Acção Governativa na passada semana, falou em responsabilização dos agentes da Administração, sobretudo a nível de altos cargos do edifício administrativo.
O discurso não é novo embora ainda não se saiba exactamente o que significa, como vai ser concretizado, posto em prática.
Se significa fazer rolar cabeças sempre que há uma gafe, um erro, é bom que se perceba que vamos assistir a uma verdadeira chacina na Administração.
Começando no próprio Executivo, passando pelos titulares de cargos de direcção e chefia, vai jorrar muito sangue, vão ser cortados muitos pescoços.
Antes de afiar os cutelos, de preparar a guilhotina, é bom que se tenha a certeza que é por esse caminho que se quer seguir, que se quer efectivamente deixar o carrasco cortar o pescoço de uma qualquer Maria Antonieta sempre que esta cometa um qualquer erro. 
Porque, como facilmente se percebe, se trata de um caminho muito perigoso, de um caminho sem retorno.

20 comentários:

  1. Concordo. Agora resta saber se o sucedido com o hino foi incompetência ou sabotagem de alguém.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Mais uma razão para não cortar a cabeça a ninguém a correr, Hugo.
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
  3. Eu vejo muito desporto (menos futebol e boxe) e já ocorreram "troca de hinos" e que eu saiba em lugar algum alguém fez ou agiu de má fé...é um engano como outro qualquer e quando vi o que aconteceu com este nosso campeão tive que rir. Arranjam-se chatices, rolam cabeças etc e tal para quê? Errar é humano e o que interessa foi a vitória e maisnada:)

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Fatyly,
    Mas olhe que, neste caso, não podemos ser tão taxativos a dizer que não houve má-fé.
    "Coisas muito estranhas" foi a expressão que o coordenador utilizou para definir esta e outras situações.
    E, seguindo a sabedoria dos nossos vizinhos espanhóis, que las hay, las hay!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que se lixem as politiquices e os politiqueiros, Ricardo.
    Sabe o que é mesmo importante?
    Este puto tem mãozinhas, vai longe.
    E aquele momento, com a malta a cantar o hino e ele emocionado, foi excepcional.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Pedro, ouvir o Hino da boca da assistência foi bastante emocionante, mesmo. Agora, pedir a cabeça dos organizadores é idiotice.
      Também seria bom pedir a cabeça do Presidente da República, ou do Alcaide de Lisboa, e eles continuam de pedra e cal nos seus postos, apesar de terem virado, literalmente, o país de pernas para o ar! Esta situação foi bem mais grave... e ficou tudo em águas-de-bacalhau.

      http://aprendervivendosociedade.blogspot.pt/2012/10/help.html

      Esperemos que estes erros sirvam para tornar as pessoas mais atentas àquilo que fazem, para que não voltem a incorrer nos mesmos erros!
      Abraço
      J. (Félix) Guerreiro

      Eliminar
    2. Pedir a cabeça do coordenador e, em grande parte dos casos, ajuste de contas antigo.
      Entrem por esse caminho e vão ver onde vão dar...

      Eliminar
  6. Ainda este ano no Brasil, quando era suposto passarem o hino de Espanha passaram o hino de Portugal, erros acontecem...

    ResponderEliminar
  7. Também já vimos o símbolo da nossa bandeira ao contrário numa cerimónia oficial e de alta responsabilidade.
    Se nada aconteceu na sequência deste desastroso acto, porque se terá que cortar a cabeça a quem trocou o hino?
    São coisas diferentes? Não são não. Uma bandeira, um hino. Ambas as coisas símbolo de uma nação.
    Que se devem apurar responsabilidades e agir em conformidade? Naturalmente que sim.

    ResponderEliminar
  8. Amigo, se soubesse o que é que eu já li por causa disso... já li que se tratou duma vingança dos chineses por Macau ter sido "colónia" portuguesa, já li que foi sacanice, já li que não havia o hino nacional porque não contavam que um português ganhasse...

    Lembra-se daquela cazaque que ganhou qualquer coisa num torneio árabe e no lugar de passarem o hino do Cazaquistão... colocaram o hino aldrabado do Sasha Cohen Baron?? XD

    ResponderEliminar
  9. Eu só sei que tb eu fiquei emocionada ... ao ver a Portugesa cantada pelos portugueses que ai estavam. Só resta dacrescentar " A NÓS NINGUEM NOS CALA" .... isto para responder responder as coisas muito estranhas...que aconteceram.
    fiquem bem .

    ResponderEliminar
  10. Catarina,
    O link que esta lá em cima e que o João Guerreiro me enviou :))

    António,
    Uma situação muito mais grave e que nao teve consequências.
    Sabe o que e mais importante?
    O puto e craque!!

    FireHead,
    Dessa nao sabia:)))
    Foram tocar o hino do Borat??
    Do caracas!!!!


    TeKanelas,
    Foi extraordinário.
    E o garoto, emocionado, um momento inesquecível.
    O puto tem mãozinha!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você é que não se lembra, amigo, pois até comentou:

      http://bloguedofirehead.blogspot.pt/2012/03/hino-do-cazaquistao-by-borat.html

      Eliminar
    2. Já nem me lembrava, FireHead
      Fenomenal!!! :)))

      Eliminar
    3. Olá Pedro, só duas correcções: o link que deixei em comentário neste post é para o vídeo da caricata situação da nossa bandeira de "patas arriba"! O link para a troca de hinos no Brasil, a que a Catarina se referiu, eu postei num comentário a "Quer aprender Enclish?" e é o seguinte,

      http://www.youtube.com/watch?v=TCJCFzoiQH4

      Abraço
      JG

      Eliminar
    4. Pedro, só duas correcções: o link que deixei, mais acima, no comentário a este post é para o vídeo sobre a caricata situação da nossa bandeira de "patas arriba", no 5 de Outubro! O link para a troca de hinos no Brasil, que a Catarina mencionou, eu deixei num comentário ao post "Quer aprender Enclish?" e é o seguinte,

      http://www.youtube.com/watch?v=TCJCFzoiQH4

      Abraço
      JG

      Eliminar
    5. Eu publiquei o link do jogo de basquete, João Guerreiro :)))
      Um grande abraço

      Eliminar
  11. Estão a ocorrer coisas estranhas com os nossos símbolos. Depois do episódio da bandeira, agora o hino. Mau presságio...

    ResponderEliminar
  12. O que eu gostava de saber era, exactamente, que coisas estranhas foram essas.
    Nós só conhecemos esta.
    E ele falou no plural.
    Lapsus liguae?
    Não creio.

    ResponderEliminar