29 de agosto de 2012

Miguel Sousa Tavares comenta proposta para a RTP



11 comentários:

  1. Não suporto este tipo, filho do benfiquista Francisco Sousa Tavares e da Sophia de Mello Breyner Andersen. Na blogosfera benfiquista ele é conhecido por "monge copista".

    ResponderEliminar
  2. Numa coisa, pelo menos, MST tem razão: ainda nem sequer foi definido o que é serviço público.

    Desorientação governamental? Claro que sim.

    ResponderEliminar
  3. FireHead,
    Quando se trata de bola, o MST torna-se um troglodita.
    Mas não e de bola que ele aqui esta a falar.
    E olhe que ele se torna um troglodita porque lhe dão troco.
    Se o ignorarem.......


    Devia ser o ponto de partida, não devia, António?
    Nos não percebemos nada destas coisas da privatização/concessão do serviço publico de televisão.
    Somos mesmo uns simplórios, caramba :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um escândalo a privatização/concessão da RTP, só é pena, que o Miguel Sousa Tavares não tenha feito nesta entrevista uma polémica violenta como costuma fazer noutros casos.

      Troglodita ou não, numa terra de cegos quem tem um olho é rei e, ele até tem esse olho.

      Eliminar
  4. ematejoca,
    Ele só é troglodita naqueles três temas (bola, cigarros, caça).
    No restante, é um tipo excepcional.
    Maniento, presunçoso (os pais também o eram), mas excepcional.

    Neste caso ele não faz nenhuma peixeirada porque, como ele próprio disse, está à espera do veto presidencial.
    Se esse veto não surgir....saiam debaixo!!

    ResponderEliminar
  5. Ora que o pai era benfiquista é novidade para mim...

    ResponderEliminar
  6. Se o pai dele era maniento e presunçoso, não sei, só sei que gostava de beber, mas a mãe, portuense e uma das poetisas da minha vida, não era nada presunçosa.

    Quanto ao veto presidencial, não acredito que o Cavaco vá contra a resolução do governo.

    Evito meter-me na política portuguesa, porque estou longe, mas a privatização/concessão da RTP não me deixa em paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ematejoca,
      O pai gostava de beber e era mulherengo.
      A tal má fama em Macau vem daí.
      Enfim, águas passadas.

      A Sophia era afectada.
      Acredite.
      Como é que acha que começaram os problemas entre o Miguel e a Laurinda Alves?
      Ainda namorados, a Laurinda Alves de pelo na venta, a Spohia a fazer-se de tontinha, e deu faísca.

      Acredite que sei o que lhe estou a dizer.
      Amigos e amigos de amigos.

      Vamos ver qual será a reacção do PR.
      A opinião pública está, cada vez mais, enfurecida com esta negociata.
      E Cavaco não vai querer ficar ligado a ela.
      Ou veta, ou manda para o Tribunal Constitucional como disse o Marcelo.
      Aprovar de cruz?
      Nem pensar!

      Eliminar
  7. Também não fazia ideia que o pai, que tem muito má fama por aqui (por isso é que o Miguel não gosta nada de Macau!!) era benfiquista.

    ResponderEliminar
  8. Acredito que o pai fosse benfiquista, porque era de Lisboa, só a Sofia é que era do Porto.

    Uma amiga minha (mãe também escritora) disse-me que a Sofia sofreu muito com o marido por causa dos defeitos que o Pedro aponta lá em cima. Toda família tinha uma grande admiração pela Sofia, mas detestava o marido.

    Dá sempre "faísca" com as sogras sejam elas portuguesas, alemãs, poetisas ou simples donas-de-casa.

    Águas passadas não moem moínhos, mas o caso da RTP preocupa-me muitíssimo e depois de ler o que o Carlos escreveu hoje sobre o assunto ainda fiquei pior.

    Volto à noite para comentar sobre a ópera (a minha grande paixão) e sobre o futebol (a minha paixão pequenina).

    ResponderEliminar
  9. São águas passadas, ematejoca.

    Mas o Miguel ainsa se vê um bom bocado afectado por isso.
    Porque é que acha que ele tem aquele ódio todo a Macau?
    Fico-me por aqui......


    A Spohia achincalhou, em público, num dos primeiros encontros, a Laurinda Alves.
    Como a Laurida Alves não é de levar desaforo para casa, respondeu-lhe à letra.
    E também em público.
    Caldo entornado logo ao primeiro contacto!

    Já passou, é verdade.
    Mas não se pode fazer de conta que não existiu.

    ResponderEliminar