28 de agosto de 2012

Celebrando os heróis nacionais - uma sugestão


Compreendo e aceito perfeitamente o sentimento de orgulho nacional, a celebração dos feitos alcançados nas mais diversas áreas.
Esse sentimento patriótico, esse orgulho, não é, nem de perto, um exclusivo da República Popular da China.
Mas é da República Popular da China, mais especificamente de Macau, que agora me vou ocupar.
Se o sentimento de orgulho patriótico é, repito, compreensível, mais ainda será o facto de se querer estender o mesmo às Regiões Administrativas Especiais de Macau e Hong Kong.
Como tal, a presença em Macau, por estes dias, dos atletas que conseguiram a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, é normalíssima.
Como o tinha sido a visita dos astronautas/taikonautas ainda muito recentemente.
A acompanhar os heróis nacionais, no entanto, há uma série de VIPs,  uma parafernália de segurança, de restrições e alterações ao trânsito de veículos e pessoas.
O que interfere com o dia-a-dia de quem aqui vive, trabalha e tem que cumprir horários.
Então, procurando minimizar o impacto negativo destas celebrações, fica a sugestão:
Que tal adoptar o seguinte horário:  manhã, das dez às doze horas; tarde, das quinze às dezassete; noite, depois das dezoito e trinta.
Havia espaço e tempo para visitas, celebrações, saraus, refeições, uma agenda muito preenchida e a exaltação do orgulho pátrio.
E perturbava-se ao mínimo o dia-a-dia de quem aqui vive e trabalha.
Que tal?

11 comentários:

  1. Estimado Amigo pedro Coimbra,
    E tudo o vento levou bem com um cheque bem recheado, é assim já, o trânsito é livre.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Amigo Cambeta,
    Eu percebo a presença desses heróis aqui.
    E percebo os incentivos pecuniários.
    É normal, acontece com todos os países ou regiões.
    Mas é possível harmonizar as coisas para ninguém sair prejudicado.
    Custa assim tanto?
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  3. Coisas de chinês, Pedro!

    Onde raio anda o comentário do Pedro Coimbra à jornada do futebol??? :DDD

    Desespero, muito!!! :DDD

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  4. Nós celebrámos as medalhas que conseguimos, Ricardo.
    É normal.
    O que não é normal é fazer este alarido que perturba quem aqui vive.
    Não é, pelo menos, necessário.

    Bola só para a semana.
    Está prometido.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  5. Você celebrou as medalhas conquistadas pela China?? Não me diga... Eu que sou de Macau não estou nem aí para as vitórias chinesas, pois sou português e é com Portugal que eu vibro.

    De resto, é perfeitamente normal que também em Macau se celebre os feitos conseguidos pela China. Afinal de contas, e divergências políticas à parte, os genes da etnia han e o orgulho patriótico acabam sempre por falar mais alto.

    ResponderEliminar
  6. Pedro,
    É bom comemorar não há dúvida desde que não seja propaganda.Compreendo o seu ponto de vista!
    Beijinho. :)

    ResponderEliminar
  7. Paz?
    Coisa que não existe mais!
    se não se incomada de uma forma, será de outra.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. Eu celebrei o quê, FireHead?
    Eu celebrei as medalhas conquistadas pelo Lopes, a Rosa Mota, o Nelson Évora,....

    "De resto, é perfeitamente normal que também em Macau se celebre os feitos conseguidos pela China."
    Inteiramente de acordo.
    E foi isso que escrevi.
    Desde que não se perturbe, e de que maneira!!, o dia a dia de quem aqui trabalha e tem que cumprir horários.
    E é fácil conciliar as duas coisas.


    Carlos,
    Eu já me contentava com horários decentes.
    Os atletas foram embora ontem.
    Os próximos que vierem talvez já possam seguir a minha sugestão.


    ana,
    Todo este arraial se insere na campanha de educação patriótica.
    Que tem que ser ainda mais forte em Hong Kong e Macau.
    Esta malta, mesmo com as reacções adversas que têm em Hong Kong (Macau é mais bem comportado) recusa-se a perceber que o patriotismo não é um sentimento que se force.
    Em boa verdade, nenhum sentimento genuíno pode ser forçado
    Como tal, o que vão conseguindo são uns "patriotas" de pacotilha.
    Tudo bem.
    Desde que não perturbem quem se está nas tintas para isso.....
    Beijinho


    Adélia,
    Eu já comentei consigo anteriormente que, se viesse viver para Macau, acho que a Adélia não aguentava um único dia.
    Aquilo que vejo que gosta (espaço, sossego, ar puro) é tudo o que não há em Macau.
    Beijinho



    ResponderEliminar
  9. Ainda são mais efusivos do que nós, agora eu pergunto, a China tem atletas que ganham assim medalhas a que preço? Qual será o preço que pagam os atletas para serem extraordinários? Talvez haja prioridades que deviam ser revistas

    ResponderEliminar
  10. Esse "preço" por aqui não se pergunta, Catarina.
    Sá alguns portugueses abelhudos é que o fazem.
    Há um, chamado Pedro Coimbra (já ouviu falar nele?) que tem essa mania.

    ResponderEliminar