29 de agosto de 2012

A privatização/concessão da RTP e o tráfico de droga


Ainda não tinha aqui feito referência ao projecto de privatização da RTP.
Um projecto que, na lúcida análise de Miguel Sousa Tavares que hoje se publica, assume muito mais o carácter de uma concessão de um serviço público do que de uma privatização do mesmo.
Uma "privatização" em que o Estado paga ao prestador do serviço 140 milhões de euros/ano??
Se isto é verdade, o que Miguel Sousa Tavares designa por negócio da China, é muito mais que isso.
Há tanto negócio na China, e com a China, que corre mal!
Este não.
Este negócio fez-me recordar um episódio ocorrido há alguns anos com um grande amigo, advogado de profissão, e com um cliente dele.
O cliente desse meu amigo estava atolado de dívidas, quase todas com origem em cheques sem cobertura que tinha emitido.
Quando percebeu que tinha o destino traçado, confrontou o meu amigo, senhor de um sentido de humor mordaz, com a seguinte pergunta:
"Olhe lá, Doutor - não me pode indicar assim um negócio fácil, de lucro garantido, para eu me safar desta encrenca?"
Resposta do meu amigo:
"Claro! Tráfico de droga. É voz corrente que dá qualquer coisa como 400% de lucro líquido. Como tal, é dinheiro em caixa. E bem rápido. Tem é algumas desvantagens - polícia atrás de si, outra vez!!, cadeia, isto na hipótese de, antes disso, não levar um balázio no meio da testa. Mas como você só quer saber de lucro garantido.......aqui está a minha resposta - tráfico de droga".
Não poderiam sonhar então, o meu amigalhaço e o seu cliente, que, no ano de 2012, se estaria a falar de um negócio com lucro garantido e sem os perigos associados ao tráfico de droga - a privatização/concessão do serviço público de televisão em Portugal.

18 comentários:

  1. Caro Pedro Coimbra
    Recordo aqueles filmes de ficção científica, em que habitantes de outros planetas se transfiguravam em terrestes, para dominar a Terra. Começa a ser difícil imaginar que esta “gente” que nos “Governa” está com os pés assentes na terra, tantas as asneiras tão calamitosos os resultados que até parece que isto é mesmo para “queimar”.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Portugal está a saque.

    Este negócio da RTP é uma vilania, até porque os contribuintes vão continuar a pagar taxa - a privados!!!

    Bom dia.

    ResponderEliminar
  3. Rodrigo,
    O que é ainda mais assustador é que, como já comentei hoje com o Carlos, não se vêem alternativas credíveis.
    Com tanta asneirada, tanto tiro no pé, como é que não há oposição?
    O PCP não quer ser solução; o Bloco anda distraído a discutir lideranças; o PS anda à bofetada lá dentro e é liderado(??) por um tipo com o síndrome de eterno líder da JS.
    Esqueça a ficção científica, Rodrigo.
    Isto é tragédia pura!!
    Aquele abraço


    São,
    Precisamente a pergunta que o Sousa Tavares e o Rodrigo Guedes de Carvalho, que até não são propriamente burros, fazem.
    Eu também gostava de ter um negócio destes.
    Um excelente dia para si!!

    ResponderEliminar
  4. Pedro,

    como dizia o outro, pois...

    Aquele abraço!

    P.S. - Falarei sobre a RTP (este negócio, o que dela penso) num post, mais ou menos, de fundo lá para a semana!

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. A inspiração foi a intervenção do Sousa Tavares na SIC.
    Se o tema não for bola, caça, ou cigarros, o Sousa Tavares até tem um raciocínio escorreito.
    Reuni o que aqui tinha, e o que pretendia perorar sobre o assunto, e saiu tudo hoje.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente com esta opinião acerca do MIguel Sousa Tavares! Cheguei a publicar um texto dele, que achei fenomenal que consistia numa resposta a uma senhora que tratou a sexualidade masculina abaixo de... Abaixo de nada, e ele respondeu-lhe bem à altura, se fosse ela enfiava-me num buraco!

      Quanto a esta situação da RTP, nós sempre fomos peritos em maus negócios, lembro-me de ler algo do género "se os nossos políticos fossem para o deserto arranjam maneira de ser preciso comprar areia".

      Gostei muito do título do post, muito bem conseguido!

      Eliminar
  6. Caro Pedro
    Voltei para lhe dizer que subscrevo por inteiro (até as virgulas) a resposta que me deu.
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  7. E o que eu gostava de não ter que responder assim Rodrigo!!
    "Ai Portugal, Portugal,
    De que é que tu estás à espera?"
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  8. Em Singapura não é tudo privatizado? Vê-se a enorme diferença entre Singapura e, por exemplo, Portugal.

    ResponderEliminar
  9. Descobriram agora (terá sido só agora?) que o presidente da RTP não poderá ser despedido seja qual fôr o futuro do canal.

    Com base em quê?

    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Não me diga que apanhou o síndrome de Singapura, FireHead!
    Agora, por estas bandas, por tudo e por nada, lá vem Singapura ao barulho.
    Não esquecer que Singapura tem 50 anos de História, uma população reduzida, um regime totalitário, regras tremendas e impostas a bruta.
    Como dizia um amigo, uma top model com a qual talvez suportasse viver uma semana.
    Qualquer comparação poder ser perigosa.
    Porque descabida.
    Assisto a isso quase diariamente.

    Nao pode ser despedido?
    Ele há mesmo uns que são muito mais iguais que os outros, António!
    Aquele abraco

    ResponderEliminar
  11. Pedro,
    Há negócios que não se entendem... É tudo um pouco bizarro, isto para ser optimista. :)
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  12. Como os três post estão relacionados, comento tudo aqui:
    O MST está mesmo certo, mas torna-se cada vez mais claro que aquilo foi uma combinação entre o Relvas e o Borges e estou convicto que o PPC foi apanhado na curva. Ou então, mente ainda melhor do que eu pensava...
    Não deixa de ser curiosa a reacção do CDS que se está a demarcar dessa proposta e hoje pôs toda a artilharia a botar faladura nas televisões, insurgindo-se contra a possibilidade de concessão e o encerramento da RTP 2, lembrando que há um acordo entre os dois partidos que tem de ser respeitado.
    O CA da RTP fez o que lhe competia e, ao contrário do PSD, que veio reclamar a sua demissão, o CDS veio defender a posição expressa pelo CA, dizendo que "estranho seria que o CA se mantivesse calado".
    Claro que isto vai acabar num acordo entre os dois e...siga a rusga, mas o CDS marcou pontos e Paulo Portas ( uma vez mais) para não se queimar, calou-se a pretexto de estar em Moçambique e fez avançar as segundas linhas.
    O Relvas deve estar em Timor com as orelhas a arder...

    ResponderEliminar
  13. Li este seu artigo com grande prazer e, ainda me ri com a resposta do seu amigo, embora o caso da RTP não seja nada divertido.

    Concordo em absoluto com o comentário que deixou no Carlos e, como o Pedro diz, o que é ainda mais assustador é não haver alternativas credíveis.

    Claro que o PCP não quer ser solução; o Bloco anda sempre distraído a discutir lideranças ou outras coisas sem interesse; o Seguro abriu a boca, não saíu mosca, só saíram muitas asneiras, e isso é que me deixa ainda mais triste.

    É na verdade, uma tragédia grega!!!

    Agora vou ouvir o Sousa Tavares, que até não é propriamente burro, mas que também me irrita muitas vezes quando abre a boca.

    Saudação da amiga de longe!

    ResponderEliminar
  14. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    O responsável pela tutela da informação em Portugal é o Relvas, mas se pirou para Timor, era muito importante a sua ida aquele país que ainda não conhecia, tendo ido visitar o campo onde o avô este preso, mas por sorte não ficou por lá.
    A RTP é um cancro cuja cura levará tempo, se se encontrar o remédio certo para tal.
    De acordo com o artigo 38.º, alínea 5 da Constituição portuguesa, «o Estado assegura a existência e o funcionamento de um serviço público de rádio e de televisão».
    Estou plenamente de acordo mas não nos moldes que é praticado, quantos canais tem a RTP? quais os luxos existentes, frota de automóveis, vencimentos churodos e nós que vivemos na diáspora temos que suportar o que a RTP i nos impinge, sem um mínimo de qualidade.
    Sobre a cidade de Singapura, onde estudei durante alguns meses, é uma cidade jardim, linda para ser visitada mas não para nela viver, é a cidade onde tudo é proibido, como tal a esqueçamos, mas Portugal já foi um jardim à beira mar, agora começa ficando um deserto a mando da Troika.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  15. ana,
    Bizarro é mesmo muito optimista.
    Cheira, tresanda!!, a golpada.
    Da grossa.
    Beijinho


    Carlos,
    O PPC, já lhe tinha manifestado esta opinião antes, borra-se de medo do Relvas.
    O que é normal porque foi o Relvas que o "fabricou".
    E, com a mesma facilidade com que o "fabricou", destrói-o.

    O MST põe o dedo na ferida.
    Esta agenda é uma agenda Relvas/Borges.
    Com a qual o CDS não quer ter nada a ver.
    Isso é mais claro a cada dia que passa.
    Poderá provocar estragos na coligação?
    Não sei, Carlos.
    O CDS já começa a sentir-se demasiado incomodado com as "relvices".
    Vamos aguardar.


    ematejoca,
    Seria tão fácil ser oposição a este governo!!
    Em vez disso, quem podia ser oposição, anda entretido com fait divers.

    O Sousa Tavares é um tipo muito inteligente e culto.
    Essa inteligência e cultura desaparecem, todinhas, com três temas - bola, cigarros, caça.
    Quando se fala disso......puro troglodita!
    Saudações orientais!! :))

    ResponderEliminar
  16. Só agora apareceu o seu comentário, Amigo Cambeta.
    Então é assim:
    Esse conceito abastracto (serviço público de televisão), que é um imperativo constitucional, ainda não foi densificado, concretizado (isto é paleio de jurista, vício profissional).
    E esse devia ser o primeiro passo neste processo.
    Com uma atenção especial a todas as vertentes - RTPi, Madeira, Açores, Canal 1 e 2.

    O ministro Relvas segue bem o ensinamento - when the going gets tough, the tough get going!
    Neste caso, para Timor.

    Singapura foi definida perfeitamente pelo Carlos Morais José - uma top model com a qual suportaria viver, no máximo, uma ou duas semanas.
    Já lá fui várias vezes, em missão oficial em visita, mas é mesmo só nesse período curto de tempo que suporto a tal "top model".
    Que, de resto, vende muitas ilusões, vende muito bem o que não tem.
    Estou a escrever o que escrevi já, mais do que uma vez, em relatórios oficiais.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  17. O MST é um analista excelente, Catarina.
    Excepto naqueles três temas.
    Aí borra a pintura toda.

    Realmente, o que era o nosso mister, enquanto mercadores e comerciantes, há muito tempo que já lá vai.
    Essa do deserto está cinco estrelas :))

    O título, e o post, ocorreram-me por causa do Sousa Tavares falar em negócio da China.
    Negócio da China, uma treta!!
    Melhor que tráfico de droga e que o conselho do meu colega.

    ResponderEliminar