25 de maio de 2012

O lado errado da cama




Num convento de freiras, a Madre Superiora, rigorosíssima, levanta-se da cama e exclama:

- Que noite maravilhosa! Hoje estou tão feliz que até vou tratar bem as freiras!
Sai do quarto e encontra uma freira no corredor:

- Bom dia, Irmã Josefa. Está com muito boa aparência! E que bela camisola está a tricotar!

- Obrigada, Madre. A senhora também está muito bem, mas parece que se levantou do lado errado da cama, não?

A Madre não gostou nada do comentário, mas continuou..

Mais adiante, encontrou outra freira.

- Bom dia, Irmã Maria! Você parece muito bem! E o seu bordado está a ficar lindo. Parabéns!**

- Obrigada, Madre. A senhora também está com bom aspecto. Mas vê-se que hoje se levantou do lado errado da cama...

A Madre Superiora ficou furiosa, mas seguiu o seu caminho.

Todas as freiras que encontrava e cumprimentava, respondiam a mesma coisa.

Assim, quando chegou à quinta freira, já estava irritadíssima e resolveu tirar a história a limpo.

- Bom dia, Irmã Leonor. Por favor, seja sincera. Eu estou com ar de quem se levantou hoje do lado errado da cama?

- Sim, Madre...

- E posso saber porquê?

- É que a Madre calçou as sandálias do Padre António..   
 

9 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Fui por não querer calçar os sapatos do Padre, pois António era eu, que me correram do seminário de Vila Viçosa, o dito cujo queria tirar as medidas à gaita e eu lhe deu um pontapé rsrsrs.
    As freiras eram óptima na confecção de doçaria e só nos dias de hoje se descobriu porquê.
    El rei Dinis tinha uma amante madre e lhe adoçava o corpo à maneira, então El rei lhes ofertava imensos ovos!....

    ResponderEliminar
  2. Eu bem sabia que aquilo de estarem fechadas, isoladas num convento, tinha "marosca" eheheheh
    beijo

    ResponderEliminar
  3. Eu andei num colégio de jesuítas, Amigo Cambeta.
    Os primeiros dois anos (74 e 75) era só masculino.
    Depois vieram as meninas e as freiras porque o colégio de freiras encerrou.
    Mas as freiras era todas mais feiinhas que os trovões!! :)))

    ResponderEliminar
  4. Dá nisto, Carlota.
    Até se enganam no calçado e tudo!! :))
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Caro confrade Pedro Coimbra!
    Esta Madre Superiora é prima da irmã Gyoconda Ferro Salgado, que é Madre Superiora do Convento das Redentoras Humilhadas e assecla mor da Ordem das Filhas de Maria sem Calcinhas!!!!!
    Caloroso abraço! Saudações penitenciais!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  6. Não podem é, por causa de certos membros do clero que não se comportam como deve ser, pagar todos. :)

    ResponderEliminar
  7. Freirinha distraída...
    Bom fds
    Na segunda-feira lá espero por si no On the rocks, para comentar o final do conto

    ResponderEliminar
  8. Prof. João Paulo de Oliveira,
    Foi essa a informação que aqui me chegou.
    Confirma-se?? :)))
    Aquele abraço


    FireHead,
    Escrevi isso há algum tempo.
    No auge dos problemas de pedofilia no seio da Igreja Católica.
    Eu, e muitos amigos, andei cinco anos num colégio de jesuítas (74 a 79).
    O meu pai trabalhou grande parte da vida com jesuítas e com freiras
    Ensino rigoroso, disciplina rigorosa, nunca ninguém foi assediado nem nada que se pareça.
    Há padres que são uns trastes.
    Não são todos.

    Deixe-me dizer-lhe uma coisa - o meu melhor mestre (e sou acompanhado nesta ideia por muitos amigos), em toda a minha vida académica (foram MUUUITOS anos até concluir o mestrado) foi um jesuíta (deixou o sacerdócio há muitos anos) - Abílio Queirós, de seu nome, acho que ainda continua a faze investigação na Faculdade de Letras (Filosofia) em Coimbra.
    Sabe que idade tinha eu (e os colegas)?
    Dez anos.
    Foi meu mestre dois anos.
    Nunca mais ninguém se esqueceu dele!!


    Carlos,
    Bom fim-de-semana.
    Segunda -feira lá estarei a comentar o final do conto

    ResponderEliminar
  9. Não tenho boas histórias com freiras, as que conheci faziam-me a vida num inferno quando estive em Lisboa. Quando iam para aviar receitas eram às 20 e às 30 receitas. Tinham a mania que tinham prioridade e eram de uma arrogância que só visto.
    Certa vez estava sozinha porque a minha colega estava na hora de almoço, e apareceu lá uma, com o monte de receitas habitual, estava a começar e chegou uma pessoa com uma dor de dentes horrível e só queria um clonix, (2minutos a aviar se tanto) e eu apercebi-me e perguntei à freira "Irmã não sei quantas importa-se que venda o medicamento àquela pessoa, é rapidinho, e aparenta estar mal" sabe qual foi a resposta dela? "Eu também tenho pressa!" Pressa? Pressa para quê quando as funções dela eram essas? De ir à farmácia aviar receitas? Fiquei consideravelmente chocada, como é óbvio a pessoa saiu e fui à farmácia que havia a 500m, embora trabalha-se ao lado da nossa.
    Como é óbvio, não se pode tomar as partes pelo todo em caso nenhum, mas como digo a minha experiência não é positiva.

    E essa da história... Distraída :)

    ResponderEliminar