26 de setembro de 2011

Hong Kong livre de tabaco. Já de hipócritas.....


Deixei de fumar em Maio de 2008.
Há poucas coisas na minha vida acerca das quais tenho certezas absolutas.
Uma delas, é que nunca mais fumarei.
Porque, depois de deixar de fumar, não suporto o tabaco.
Mas não me esqueço dos direitos dos fumadores.
Desde que respeitem o meu espaço e os meus direitos enquanto não fumador, nada me move contra os fumadores.
Fundamentalismos, sejam em que sentido forem, são sempre perigosos.
Este intróito tem uma razão de ser muito concreta - a notícia que Hong Kong está a caminho de se tornar uma cidade livre de tabaco.
Não sabia, mas a Organização Mundial de Saúde considera que as cidades que tenham uma incidência de fumadores inferior a cinco por cento podem ser consideradas "somoke-free".
Se são louváveis os esforços das autoridades de Hong Kong, e se se entende que haja regozijo pelos progressos conseguidos, não evito em simultâneo um sentimento de que existe neste foguetório todo algo de perversamente hipócrita.
Numa cidade que apresenta níveis de poluição elevadíssimos, níveis de salubridade e higiene pública altamente questionáveis, que estiveram até na origem de graves epidemias públicas, um ar praticamente irrespirável, tudo consequências de um processo de desenvolvimento desregrado, selvagem, alguma parcimónia na divulgação destas notícias seria de todo aconselhável.
Todos conhecemos os malefícios do tabaco.
A começar pelos próprios fumadores.
Mas, meus senhores, permitam-me a ousadia - para quando o combate feroz às restantes fontes de poluição na cidade livre de tabaco?
Quando esse combate existir, e produzir resultados, eu prometo que venho aqui enaltecer publicamente a visão e a coragem de quem o promoveu.
Por enquanto, que tal um pouco menos de barulho?


14 comentários:

  1. Estimado Pedro Coimbra,
    Embora eu seja um fumador estou inteiramente de acordo com suas sabias palavras.
    Ate hoje o unico pais do mundo onde nao existe tabaco e o Butao.
    Aqui na Tailandia fumar tambem e coisa nada facil, ate nos jardins tem zonas para fumadores, porem sempre bem longe dos locais normais.
    Ja deixei de fumar por varias vezes, mas o vicio venceu, bem queria deixar de fumar mas e assim ja.
    Um abraco amigo - Cambeta

    ResponderEliminar
  2. Amigo Cambeta,
    Quando os tipos de Hong Kong conseguirem travar aquela poluição que torna o ar irrespirável, podem fazer o barulho que quiserem com o combate ao tabagismo.
    Olhar só para o cigarro do vizinho e deixar o resto da porcaria na mesma?
    Isso é hipocrisia e atirar areia para os olhos dos mais incautos.
    Não alinho nessa cantilena.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Enquanto fumadora, coisa do passado sempre soube respeitar o espaço dos demais, não percebo a falta de respeito por quem fuma, quanto à hipocrisia, está por todo lado, infelizmente.

    Uma boa semana*

    ResponderEliminar
  4. Caro Pedro
    Com tanto fundamentalismo, ainda se vão criar nos arredores das cidades "reservas de fumadores" espero, até lá deixar este vício que já me acompanha há demasiado tempo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Caro confrade Pedro Coimbra!
    Fui fumante do ano de 1970 até o dia 17 de maio de 1983... Aqui no Estado de São Paulo existe legislação que proibe fumantes em locais públicos fechados. Vejo com ressalvas as medidas em vigor na cidade de Hong Kong, porque não são somente os fumantes de lá que contribuem sobremaneira para a poluição do ar.
    Caloroso abraço! Saudações cristalinas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  6. Catarina,
    Infelizmente, o civismo e as campanhas anti-tabágicas não funcionam.
    No entanto, Hong Kong, há já muitos anos, está dotada de legislação extremamente dura no que se refere à proibição de fumar em locais públicos.
    O mesmo já não acontece com quase todas as outras fontes de poluição.
    E, naquele ar irrespirável, a última coisa que a gente sente é o fumo dos cigarros.
    Boa semana

    VICI,
    Quando vamos a Hong Kong, não é propriamente o fumo dos cigarros que perturba...
    Um abraço

    Rodrigo,
    Se houver civismo, os fumadores têm que ter o seu espaço.
    Não havendo civismo, terão que ser criadas limitações a nível legal.
    Que já existem em Hong Kong e vão passar a existir em Macau a partir de Janeiro.
    Mas aqui em Macau há muita excepção.....
    Para deixar de fumar, o "segredo" é simples - é fixar uma data (não é amanhã)e ir metendo na cabeça que se vai deixar naquele dia.
    Resultou comigo, com a minha mulher, o meu pai, amigos.
    Experimente!!
    Um abraço

    Prof. João Paulo Oliveira,
    Fumei durante mais de vinte anos.
    Uns meses antes de uma cirurgia ao nariz, disse aqui em casa que ia deixar de fumar.
    Ninguém acreditou.
    Mas eu meti aquilo na cabeça.
    E foi o que fiz.
    Antes de dar entrda no hospital, fumei um cigarro, atirei o maço de tabaco e o isqueiro fora e sabia que tinha acabado.
    A minha mulher, que não acreditava, guardou dois maços de cigarros aqui em casa sem eu saber.
    Nunca mais fumei, nem nunca mais vou fumar.
    Mas respeito os fumadores.
    Os que me respeitam a mim também, como é óbvio.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Deixei de fumar à 16 anos e nunca mais peguei num cigarro. Alguns anos depois, foi trabalhar comigo uma colega que fumava e bem. Embora eu não fumasse, levava com o cigarro todo o dia em cima, até que comecei a levantar-me e sair do escritório. Tanta vez o fiz que ela resolveu deixar de fumar, e já à 6 anos que não fuma.
    Pronto, era só o que queria dizer, eheheheh

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Nunca tendo sido fumadora (mas tendo amigos que o são) estou inteiramente de acordo!

    ResponderEliminar
  9. Só porque entretanto me lembrei, cheguei a dar três passas, em três cigarros diferentes em três ocasiões também distintas e poderei ser também fumadora passiva :) (o nunca estava demasiado radical)
    beijinho

    ResponderEliminar
  10. Entretanto também, lembrei-me que estive a tentar no facebook descobrir o Pedro Coimbra de Macau...assim só aparece um, mas não se chama Pedro Coimbra e quando tentei só, Pedro Coimbra, apareceram centenas ou milhares, e desisti :(
    Acho que o facebook deve ter descoberto o que tenho andado a escrever em blogue e agora é que não vai facilitar mesmo...
    beijinho

    ResponderEliminar
  11. Carlota,
    Aí está a chatice.
    Quando não se respeita a privacidade dos outros.
    O direito de não fumar.
    Aí sim, se não vai lá com civismo, tem que ser à bruta.
    O problema é quando, como é o caso de Hong Kong, o fumo dos cigarros serve de cortina para esconder o resto.
    Bjs

    Gábi,
    Só se for fumadora passiva.
    Fumadora, nunca foi.
    No Facebook, tente Pedro Coimbra e na localização, Macau.
    Estão aqui várias pessoas das quais já sou amigo (a Carlota, o Rodrigo,....).
    Outra hipótese, é dizer-me o seu nome e eu procuro-a.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Em Hong Kong, tal qual em outra parte do Mundo a hipocrisia é algo que se alastra tal qual sarna/lepra.

    Abraço, caro amigo e continue longe do tabaco!

    P.S.- Tenho apenas um vício, se é que o posso apelidar assim, fumo sempre "um puro" quando joga o meu Benfica, mas fico-me pela varanda! :DDD

    ResponderEliminar
  13. Disso tenho a certeza, Ricardo.
    Nunca mais fumarei.
    Fiquei a abominar o cheiro do tabaco.
    Parece que é vulgar entre os antigos fumadores.
    Um abraço

    ResponderEliminar