17 de agosto de 2011

A publicidade em Macau e os slogans que a malta inventava


Na adolescência, em tertúlias de amigos, especialmente quando bebíamos uns copos a mais, inventávamos uns slogans publicitários para as empresas e os negociantes da zona.
Ainda me lembro de um.
O pai de um dos nossos amigos criava e vendia leitões.
Sendo um sujeito muito baixinho, o slogan saiu -  "O homem à altura da cintura, o porco à altura da situação!"
Malta divertida, bem disposta, tempos bem passados.
Hoje em dia, quando vejo, e ouço, a publicidade que se faz em Macau, recordo-me daqueles tempos.
Com alguma imaginação, inventávamos aqueles slogans.
Não éramos profissionais, ninguém nos pagava por isso.
Mas tínhamos imaginação, criatividade, sentido de humor.
Tudo o que falta aos publicitários(??) em Macau.
No resto do Mundo, a publicidade passa por ser uma arte.
Desenvolvida num ambiente altamente competitivo e profissionalizado.
Em Macau, é um atentado à inteligência.
A maior parte das vezes, levado a cabo por curiosos, amigalhaços que se juntam para fazer uns spots publicitários para uma qualquer campanha.
Como a minha "matilha" fazia.
Até há bem pouco tempo, a desculpa esfarrapada que era apresentada em Macau para justificar tão pobre cenário era a falta de verbas.
Será que ainda é a mesma?!
Se for, essa sim, terá piada e imaginação.

13 comentários:

  1. "O homem à altura da cintura, o porco à altura da situação!"

    Isto é que era serviço.
    Até o leitão sabia melhor...nada de porco...

    ResponderEliminar
  2. Estimado Amigo e Dr. Pedro Coimbra,
    É bem verdade, em Macau antigamente ainda havia reclames giros e feitos com imaginação, estou recordando-me das gasosas Ásia, feitas em Macau.
    Eu, quando era empregado de mercearia em Évora, um dia o meu patrão me pediu para compor a montra com rolos de papel higiénicos da marca Smart, marca esta que ele era representante exclusivo para a zona Sul.
    Fiquei matutando no assunto e no dia seguinte tive esta brilhante ideia:
    A base da montra a enchi de rolos de papel higiénico Smart, tendo colocado um manequim de uma jovem em bikini e piscando o olho, e junto aos pés do manequim, escrevi em letras garrafais a seguinte frase 'TENHA-O SEMPRE DEBAIXO DE OLHO", resultado as pessoas que passavam pelo local olhavam e riam até que um reporter do antigo Jornal Notícias de Évora, lá passou, tirou umas fotos e publicou o acntecimento na prïmeira página do jornal rsrsrsr.
    "O homem à altura da cintura, o porco à altura da situação" pois situações bem diferentes mas que no fundo revelam imaginação e criatividade.
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  3. Luís,
    Este foi um de muitos.
    O sujeito, e os filhos, eram nossos amigos.
    Brincávamos com essas situações, entre amigos, sem ofender nem magoar ninguém.
    Ainda me lembro que estivemos uma noite, à desgarrada, a inventar a história da ida do sapateiro da aldeia ao torneio de ténis de Wimbledon.
    Pura diversão.
    Para nós e para quem nos ouvia.
    Sem falsas modéstias.
    Estes tipos, que passam por ser profissionais, e são (bem) pagos por isso, são de uma pobreza franciscana.
    Nem acredita.
    Só vendo e ouvindo.
    Está a imaginar um tipo que tem como animal de estimação um mosquito que provoca a febre de Dengue?
    "Mordi o meu dono" (campanha dos Serviços de Saúde).
    Está a imaginar chamar porca à esposa?
    Em público?
    "Querida tens que ter cuidado com a higiene pessoal".
    E são tantos assim....
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Amigo Cambeta,
    Deixe essa do Dr.
    Está aí a prova que, apenas com imaginação, nem é preciso dinheiro (que não falta em Macau!!!) se consegue atrair a atenção das pessoas.
    Com uma frase, o meu Amigo conseguiu chamar a atenção do público para o produto à venda, para a loja.
    E não é publicitário.
    Como nós não éramos.
    Se uns "carolas" conseguem fazer isto, como é que supsostos profissionais fazem tanta m@#$%?!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Caro Pedro
    "o porco à altura da situação!"
    Peço desculpa, mas esta parte do "slogan" remeteu-me para qualquer coisa dos dias de hoje. Não sei bem para o quê...
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Essa imaginação, Rodrigo :)))
    O triunfo dos porcos, não é?
    E tem razão - é um slogan, não um jingle.
    Vou alterar o post.

    ResponderEliminar
  7. Pedro
    Hoje vim a pé, razão da minha chegada tardia, penso que venho a tempo de deixar o meu abraço.

    ResponderEliminar
  8. Agora, talvez seja mais a falta d destinatários...

    ResponderEliminar
  9. Adélia,
    O Blogger anda outra vez parvo.
    Não consigo emendar mensagens, enviar novas.
    Vou tentar enviar um comentário.
    Abraço

    Carlos,
    Não dá para perceber como é que chegou a uma pobreza destas.
    Triste, muito triste.

    ResponderEliminar
  10. Carlos,
    Faltou um "se".
    Como é que se chegou.
    A diferença que um "se" faz :)))

    ResponderEliminar
  11. Tem de pôr aqui umas fotografias desses "atentados". Fiquei curiosa.

    Helena

    ResponderEliminar
  12. Da publicidade e amigos, só me ocorre uma cena, conhece as empresas de lavagem de carros elefante azul? Sempre que estávamos a chegar a Coimbra a Sílvia dizia "Autorizaste a utlização da tua foto melhor para o reclame luminoso?"(é um elefante azul a lavar-se com a tromba)... E com isso nos ríamos...Enfim, tempos simples e bons que não voltam!

    ResponderEliminar
  13. Não há fotografias, Helena.
    São spots que passam na rádio e na televisão.

    Catarina,
    LOL :))

    P.S. Vamos ver se registo o comentário.
    Estou sem possibilidade de criar novos posts desde ontem

    ResponderEliminar