30 de novembro de 2010

Puta madre no sean pendejos!!!

Consta que terá sido este o ralhete, audível, que Mourinho pregou aos seus jogadores após o jogo de ontem em Barcelona.
Os 5-0 com que os blaugrana brindaram os merengues constituem uma humilhação para a equipa madrilista.
A primeira derrota da equipa desde que passou a ser treinada por Mourinho (restam imbatíveis nos principais campeonatos europeus o Porto e o Manchester United).
A maior derrota que Mourinho sofreu na sua carreira de treinador.
A perda do primeiro lugar na liga espanhola.
A certeza que, na actualidade, o Barcelona é superior ao Real Madrid.
No que se refere ao jogo em si, como o próprio Mourinho afirmou, pouco há a dizer.
Mourinho apostou em Khedira, Xávi Alondo e Ozil para parar o terrível meio-campo do Barcelona.
Uma aposta que se revelou um desastre.
Os dois alemães andaram literalmente à deriva, a contemplar o rendilhado, o tiki-taka, dos geniais médios do Barcelona.
Cenário que em nada se alterou com a troca de Ozil por Lassana Diarra.
Para além de não parar o meio-campo do Barcelona, o meio-campo do Real Madrid também não alimentava os avançados da equipa.
Que, assim, ficava partida ao meio.
Lá na frente, um "tenrinho" Benzema fez com que Higuain (lesionado) fosse sempre recordado.
O argentino é mexido, lutador.
E fez muita falta esse poder de luta, de combate.
Ao contrário, no Barcelona, a um terrível Villa, juntou-se um deslumbrante Messi.
Também nos duelos particulares o Barcelona goleou.
Guardiola esteve muito melhor que Mourinho.
Messi esteve noutra galáxia face a Ronaldo.
Nota final para as atitudes estúpidas de Sérgio Ramos (já é hábito...) e para uma possível grande penalidade cometida por Valdés sobre Ronaldo.
Se fosse marcada, e convertida, o resultado passaria para 2-1.
E o jogo poderia ter outra história.
Mas até soa a sacrilégio escrever isto depois do recital que o Barcelona deu.


Sem comentários:

Enviar um comentário